O mouro e a parteira

APL 831

Uma noite, um mouro foi ao Peral buscar uma parteira para fazer o parto à mulher! Como paga do trabalho, deu-lhe um punhado de carvões que ela enrolou no regaço da saia. Como era de noite, ele foi acompanhar a parteira de volta ao Peral. Quando iam já perto, ela disse pró mouro:
 — Agora, já se pode ir embora que eu já não tenho medo; já conheço o caminho.
 Quando se afastou do mouro, aventou os carvões, pensando que não prestavam, mas ficou-lhe um entalado no cós da saia e ela não reparou. Quando chegou a casa é que lá achou, não o carvão, mas uma libra em ouro. Bem voltou ela à procura dos carvões, mas eles já lá não estavam...

Fonte Biblio VILHENA, M. Assunção Gentes da Beira Baixa Lisboa, Colibri, 1995 , p.99-100

Place of collection-, PROENÇA-A-NOVA, CASTELO BRANCO

InformanteJúlia Dias (F), 78 y.o., - (PROENÇA-A-NOVA) CASTELO BRANCO,

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications

TypesChristiansen 5070 Midwife to the Fairies