[O nome de Algoz]

APL 2180

Era a povoação ainda nascente, mas não tinha nome. Resolveram os moradores reunir-se e dar nome á sua povoação. Reunidos, resolveram fazer uma procissão, levando nesta a imagem de um santo da altura de um homem. Ora o logar que havia de ser occupado pelas ruas estava ainda povoado de arvoredo. Ao passar a procissão por um logar, não pôde passar o andor, porque a pernada de uma arvore lhe obstava a passagem. Pediram ao dono da arvore a cortasse para o andor passar; o dono da arvore oppoz-se. Levantou-se ali mesmo uma grande questão, e o pároco, para evitar maiores desgostos, resolveu cortar a cabeça ao santo para o andor passar. Assim se fez. Como o paroco tinha por inimigos a maioria da freguezia, esta, para ficar registada a malvadez do pároco, resolveu que á povoação fosse dado o nome Algôz. E como o mal prevalece quasi sempre foi este o nome pelo qual muito tempo foi cognominada a povoação.

Fonte Biblio OLIVEIRA, Francisco Xavier d'Ataíde Monografia do Algoz Faro, Algarve em Foco, s/d [1905] , p.211

Place of collection Algoz, SILVES, FARO

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications