O pente e o cabelo da moura

APL 3755

Na aldeia de Frades, do concelho de Vimioso, há um local chamado Puio, onde se conta que, numa certa manhã de Primavera, andava um pastor com o seu rebanho, e que, ao chegar a hora de comer a merenda, dirigiu-se, com o farnel às costas, para junto da fonte que hoje se chama Poço da Moura.
    Depois de comer a merenda, ia beber água, mas, ao chegar à fonte, viu lá uma princesa a pentear-se com pente de ouro. Ela então procurou-lhe:
    — Ó pastor, o que é mais lindo: o meu pente ou o meu cabelo?
    O pastor pôs-se a olhar bem e a pensar, e por fim respondeu-lhe:
    — São lindos os seus cabelos, mas o pente sempre é melhor.
    Ela então encheu-se de desgosto e lançou-se à água, para não mais ser vista. Diz-se que o pastor ao preferir o pente, lhe dobrou o encanto. E também se diz que em manhãs de S. João outros têm sentido ali um tear a tecer. Pensa o povo que é a moura mais o seu encanto, e, daí, àquela fonte deram o nome de Poço da Moura.

Fonte Biblio PARAFITA, Alexandre A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , p.369-370

Ano1999

Place of collection Vale De Frades, VIMIOSO, BRAGANÇA

InformanteInês Rosa Martins (F), 44 y.o.,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications

MotivosTh [H511.1.2.] Suitor must prefer princess to treasures