O Porto das Vacas

APL 1343

Na Graciosa, como nas restantes ilhas, também se faziam bodos e coroações. Não havia muita abundância de carne porque o gado era pouco, mas, quando as pessoas tinham dificuldades, estavam sempre prontas a oferecer a sua melhor vaca ao Espírito Santo. Houve famílias que criaram uma vaca durante dezoito anos e só quando tiveram dinheiro é que fizeram a coroação.
 Na Praia costumavam ir pôr o gado para o Espírito Santo a engordar no ilhéu. Os animais iam de nado, com a cabeça sobre a borda do barco para os auxiliar na viagem.
 Ora um certo ano, o mordomo, que fizera uma promessa, tinha as vacas prometidas para a coroação a engordar no ilhéu em frente à Praia. Os animais tinham, que ficar bem gordos para que a carne atenrasse e se pagasse a promessa com dignidade.
 Naquele ano a Primavera tinha sido má, com muito vento e o mar bravo. Esperava-se que o tempo melhorasse, mas chegou a sexta-feira em que tinham de ir buscar os animais que iam ser servidos no jantar do domingo do Espírito Santo e o tempo continuava mau. Não se podia sequer pensar em sair do porto.
 O mordomo, aflito e sem dinheiro, olhava o mar e o céu na esperança de alguma mudança. Mas nada. Decidiu ir comprar outro gado, igualmente gordo, para cumprir o que tinha prometido.
 No sábado de manhã estava tudo preparado para matar as reses compradas à última hora. Inesperadamente e apesar do mar bravo, as vacas que estavam no ilhéu lançaram-se à água, enfrentaram o mar bravo, saltaram para terra e vieram ter à porta de casa, oferecer-se para serem mortas. Acabaram por ser estas as vacas mortas em louvor e agradecimento ao Espírito Santo, como o homem tinha prometido.
 O povo ficou maravilhado com este acontecimento. Pouco a pouco e lembrando o sucedido, passaram a chamar Porto das Vacas ao lugar do lado de lá da rampa do porto da Praia, onde as vacas aportaram, movidas pela mão do Divino Espírito Santo.

Fonte Biblio FURTADO-BRUM, Ângela Açores: Lendas e outras histórias Ponta Delgada, Ribeiro & Caravana editores, 1999 , p.177

Place of collection Santa Cruz Da Graciosa, SANTA CRUZ DA GRACIOSA, ILHA DA GRACIOSA (AÇORES)

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications