O Senhor Bom Jesus não quis o juro

APL 1380

Nos princípios do século vinte, a vida no Pico ainda era muito custosa. Embora quase todos tivessem a sua casa e uns pedaços de terra para cultivar e, por isso, quase todos fossem donos das suas terras, não viviam com abundância. Cada pessoa quase nunca tinha mais de uma muda de roupa; os homens calçavam alparcas feitas de coiro de porco; trabalhavam muito e lucravam pouco. A América era como o céu, mas muitos não chegavam a emigrar porque nem tinham dinheiro para a passagem.
 Um certo homem de S. Mateus andava também com a mania de ir p’rà América. Não tinha dinheiro e não queria ir pedi-lo a alguém de mais posses, com vergonha que não confiassem nele.
 Depois de muito matutar, veio-lhe uma ideia à cabeça. Aquilo era um pecado, mas não tinha outro remédio. O homem decidiu-se. Foi à igreja, ajoelhou-se em frente à imagem do Senhor Bom Jesus e pediu-lhe que lhe emprestasse a quantia que precisava. Escolheu a melhor chance, foi à gaveta onde arrumavam o dinheiro das esmolas e tirou o que precisava. Prometeu e voltou a prometer que havia de vir pagar o próprio e o juro, logo que pudesse.
 O homem partiu, trabalhou muito, durante anos. Teve sorte e saúde. Quando já tinha dinheiro bastante, veio ver a família e matar saudades do Pico. A primeira visita que fez foi à igreja. Em frente ao Senhor Bom Jesus, ajoelhou-se p’ra agradecer e muito chorou. Meteu a mão na algibeira e pôs no altar tanto dinheiro como anos atrás tinha tirado da gaveta cheio de medo. Quis depois deixar mais dinheiro para pagar o juro, mas a mão ficava sem acção e não entrava na algibeira. Tentou várias vezes e sucedia sempre o mesmo.
 O homem ficou muito agoniado por julgar que era castigo e foi logo chamar o padre para se confessar. Cheio de vergonha foi contar ao padre o sucedido, mas este depois de ouvir a confissão, sorriu e disse bem disposto:
 — Não é castigo nenhum! O Senhor Bom Jesus só quer o próprio, não quer o juro.
 O padre louvou o homem pela maneira como tinha procedido e o emigrante ficou ainda mais devoto do Senhor Bom Jesus.

Fonte Biblio FURTADO-BRUM, Ângela Açores: Lendas e outras histórias Ponta Delgada, Ribeiro & Caravana editores, 1999 , p.221-222

Place of collection São Mateus, MADALENA, ILHA DO PICO (AÇORES)

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications