O Senhor de Matosinhos

APL 988

No Inverno, todos os dias de manhã um pescador pegava no seu carrinho de mão e ia para a praia juntar lenha para a lareira. Quando já tinha lenha suficiente no carrinho de mão, ia para casa parti-la e arrumá-la no sítio onde costumava.
Um dia, no momento em que estava a colocá-la ao lume, reparou que no meio se encontrava um braço de madeira. Não ligou e pô-lo a arder juntamente com o resto da lenha.
Entretanto, a lenha ardeu toda e o braço continuava intacto. O pescador achou muito estranho mas não lhe deu grande importância.
Passado uns dias, o pescador voltou a ir recolher lenha à praia. Até que encontrou uma imagem de madeira sem um braço. Pensou que talvez aquele braço que tinha em casa pertencesse à imagem e levou-a para a casa para se certificar se lhe pertencia ou não.
Quando chegou a casa e viu que aquele braço de madeira pertencia à imagem, pensou de imediato que não era coisa natural.
Naquele momento, não sabia muito bem o que fazer com a imagem. Mas considerou que o melhor era levá-la para o sítio onde a tinha encontrado.
Levou a imagem de madeira para a praia, erguendo-a num pelourinho, e deu-lhe o nome de Senhor de Matosinhos.

Fonte Biblio AA. VV., - Literatura Portuguesa de Tradição Oral s/l, Projecto Vercial - Univ. Trás -os-Montes e Alto Douro, 2003 , p.CR5

Ano2002

Place of collection Guifões, MATOSINHOS, PORTO

ColectorKatherine Oliveira Santos (F)

InformanteManuel Silva Lopes dos Santos (M), 55 y.o., Guifões (MATOSINHOS) PORTO,

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications