O Vale da Osseira (Versão C)

APL 3120

Aqui [Seixo de Ansiães], segundo a tradição, depois da reconquista de Ansiães, pelos cristãos, centenas de mouros, vindo da Beira, atravessaram o rio Douro e desembarcaram na Portela da Armada, subiram pelo Ribeiro da Vila e seguiram na direcção do Seixo, para dali se dirigirem ao castelo, para de novo o reconquistarem. Porém, as sentinelas cristãs, situadas em algumas atalaias, viradas ao Douro, vendo este avanço, avisaram as gentes do castelo, que decidiram sair ao encontro dos invasores. Dezenas de soldados dirigiram-se para o vale existente entre o Seixo e Vilarinho e dali emboscados esperaram as tropas muçulmanas. Deu-se terrível combate e os mouros, às centenas, teriam sido todos mortos. Os cristãos teriam recolhido os seus feridos e os mortos, mas deixaram, por lá, espalhados os corpos dos mouros. Ali teriam ficado expostos ao tempo e à devastação dos animais. Passados alguns anos, quem por lá passava, só via ossadas humanas e por isso o vale passou a ser conhecido por Vale da Osseira.

Fonte Biblio PARAFITA, Alexandre Património Imaterial do Douro (Narrações Orais), Vol. 2 Peso da Régua, Fundação Museu do Douro, 2010 , p.227

Ano1910

Place of collection Seixo De Ansiães, CARRAZEDA DE ANSIÃES, BRAGANÇA

InformanteCristiano Morais (M),

Narrativa

When XI Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications