O velho Abelhão

APL 953

Na aldeia de Carvas, concelho de Murça, há uma área de terreno onde no dia 3 de Maio, dia de Santa Cruz, não se pode trabalhar. Dizem os mais antigos que tal costume se deve ao facto de naquele dia andar por lá a pairar a alma do velho Abelhão. O motivo de tais andanças tem a ver com as libras em ouro que ele enterrara antes de morrer em lugar que nunca divulgou.
Reza a lenda que ele prometera ao morrer que todos os anos no dia de Santa cruz, porque é o dia do aniversário da sua morte, voltaria a visitar as suas meninas e que só deixaria de vir quando alguém mais inteligente do que ele as encontrasse.
E todos os anos impedia que as pessoas fossem para lá trabalhar, para se sentir mais à sua vontade, arranjado-lhe certos azares.
Há histórias que se contam de pessoas que, não dando importância ao costume, teimaram em ir.
O ti Faustino, que já morreu, contava muitas vezes que um dia, por esquecimento ou por não ligar ao que se dizia, foi lá carregar um carro de mato. Depois de carregado, estava já para se vir embora, quando os bois simplesmente se recusaram a andar. A cheda partiu-se e a parte dianteira do carro caiu ao chão. Teve o ti Faustino que descarregar toda a carga e ir embora sem o mato.
Lenda ou não, o certo é que nesse lugar, onde supostamente era a casa de família dos Abelhões, ainda hoje se respeita o dia de Santa Cruz, ao ponto de não se ir para lá trabalhar. Há quem ironicamente chame ao dia de Santa Cruz o dia do Santo Abelhão.
O velho Abelhão era o patriarca de uma família muito rica, dona e senhora da aldeia de Carvas. Era conhecido pela sua avareza, ao ponto de antes de morrer enterrar toda a sua fortuna em potes de barro cheios de libras de ouro, para não caírem nas mãos dos herdeiros.

Fonte Biblio AA. VV., - Literatura Portuguesa de Tradição Oral s/l, Projecto Vercial - Univ. Trás -os-Montes e Alto Douro, 2003 , p.AP16

Ano2002

Place of collection Carva, MURÇA, VILA REAL

ColectorMaria Gorete Pires Nunes (F)

InformanteCasimiro Júlio Vaz (M), 76 y.o., Carva (MURÇA) VILA REAL,

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications