Obras da diabólica

APL 1147

Ouve-se por ali dizer que em tempos idos, os “medos”, andavam no meio das pessoas.
 Um dia nesses remotos tempos, a diabólica caçou um homem, segurou-o com as suas garras e levou-o para longe.
 Depois a diabólica colocou o homem “incouro” (nu) no cimo de uma serra, muito alta, toda rodeada de escarpas de onde dificilmente se podia sair.
 O homem vendo que estava numa situação desesperada começou a gritar: “Ai que farê, ai que farê “. As pessoas ouviam ao longe os sons levados pelo vento e dizem que desde essa altura a serra tem o nome de “Serra do Ai que farê”

Fonte Biblio MOURA, José Carlos Duarte Histórias e Superstições na Beira Baixa Castelo Branco, RVJ editores, 2008 , p.10

Place of collection Penha Garcia, IDANHA-A-NOVA, CASTELO BRANCO

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications