Os Mouros do Caratão

APL 2258

Próximo do Caratão [concelho de Mação] existem muitas pedras todas de forma oval, algumas postas já em cima umas das outras, como que começando a descrever um arco.
 Depois de se passar dois montes, entre os quais corre uma ribeira, encontram-se também pedras da mesma forma e também sobrepostas como que querendo descrever um arco.
 Segundo a lenda, aquelas pedras eram para fazer uma ponte numa noite, pelos Mouros.
 Na noite marcada, houve nevoeiros e, quando puderam começar a ponte, fez-se imediatamente de dia e, como ela era para se fazer naquela noite, não a fizeram. Algumas dessas pedras estão a ser vendidas para calcetar estradas.
 Pensa-se que algumas daquelas pedras foram tiradas duma mina, que existia naquele lugar, de qualquer minério, e, onde existe a lagoa, diz-se que também há um capote, um carneiro e uma candeia, tudo de ouro.
 Houve um homem que deu uma esmola a um mouro e este disse-lhe onde se encontrava o capote, mas ele não poderia dizê-lo a ninguém. Próximo do local, e quando já via o capote, encontrou um amigo que lhe procurou onde ia; o homem disse que ia buscar o capote de ouro, mas nesse instante deixou de o ver.

Fonte Biblio VASCONCELLOS, J. Leite de Contos Populares e Lendas II Coimbra, por ordem da universidade, 1966 , p.746-747

Place of collection-, MAÇÃO, SANTARÉM

ColectorPaulo Caratão Soromenho (M)

InformanteOlinda Vitorino Gueifão (F), 16 y.o., - (MAÇÃO) SANTARÉM,

Narrativa

When

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications