Os portões

APL 954

Conta-se numa aldeia de Barcelos que há muitos anos atrás habitava numa quinta um senhor que gostava de passear de carro. Quando este senhor faleceu, os novos proprietários da quinta restauraram-na e mandaram colocar portões de ferro na entrada.
Mas, na manhã seguinte, os portões apareceram no chão e os proprietários acharam que tinha sido uma brincadeira de algum vizinho. Voltaram a mandar colocar os portões, mas, na manhã seguinte, depararam com o mesmo – os portões estavam no chão. Isto acontecia sempre que os protões eram postos no sítio.
Cansados e preocupados, resolveram prestar atenção à entrada da quinta e puseram-se à espreita durante a noite. Mas, para espanto deles, apenas conseguiram ouvir o motor de um carro a entrar pela quinta dentro e os portões a caírem ao chão sem que ninguém lhes tocasse.
Começou então a dizer-se que era o antigo dono da quinta que não queria portões, para poder entrar e sair de carro à vontade. Os novos donos fizeram a vontade ao morto e mandaram retirar definitivamente os portões. Ainda hoje a quinta está sem portões.

Fonte Biblio AA. VV., - Literatura Portuguesa de Tradição Oral s/l, Projecto Vercial - Univ. Trás -os-Montes e Alto Douro, 2003 , p.AP17

Ano2000

Place of collection-, BARCELOS, BRAGA

ColectorViviana da Silva Enes (F)

InformanteMaria Eugénia da Costa Inês (F), 73 y.o., - (BARCELOS) BRAGA,

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications