Os três potes

APL 3734

Na aldeia de Cidadelhe de Aguiar, situada entre montes e colinas, existem no cimo da serra umas muralhas antigas a que o povo chama “casa dos mouros”. Reza a lenda que, nessas muralhas, existem três potes: um de ouro, outro de prata e o terceiro de peste. E que quem encontrasse o pote de peste traria um mal que atacava a aldeia.
    O povo, com o objectivo de ficar rico e feliz, andava a pensar ir à “casa dos mouros” escavar, à procura dos dois potes valiosos. Porém, uma curandeira, que também andava a escavar, ouviu uma voz que lhe disse:
    — Não me caves que eu empesto o mundo! Não me caves que eu empesto o mundo!
    Ao ouvir isto ela ficou cheia de medo. Voltou a correr para a aldeia, onde espalhou a notícia. E a partir dessa altura nunca mais ninguém quis ir à “casa dos mouros” para procurar os potes de ouro e de prata, com medo de encontrar o pote de peste.

Fonte Biblio PARAFITA, Alexandre A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , p.353

Ano1998

Place of collection-, VILA POUCA DE AGUIAR, VILA REAL

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications