Penamacor

APL 3379

A pouca distancia de Penamacôr, ha a antiquissima capella de S. Domingos.
    Segundo a lenda, um homem da villa, muito devoto de S. Domingos, estava captivo, em terra de mouros, e fazia todas as diligencias para fugir; o que, percebido pelo seu senhor, lhe mandou pôr fortes grilhões, e de noite, mesmo acorrentado, o fazia metter em uma caixa, fechada com fortes cadeados, e fazia sobre dia a cama em que dormia, para guardar o captivo.
    Passados alguns dias, uma manhan appareceu o mouro, a caixa e o christão, á porta da capella de S. Domingos.
     Pasmado o mouro, de tamanha maravilha, se fez christão, e elle e o seu captivo, dedicavam o resto dos seus dias ao serviço da ermida.
    Na capella existe um quadro antiquissimo, recordando este milagre.
    Não diz a lenda, em que anno leve logar este acontecimento mas foi, com certeza, anterior ao reinado de D. Diniz; porque, em 1288, veio aqui de proposito visitar a ermida, a rainha Santa Isabel, e suppõe-se que foi esta soberana que mandou fazer o quadro. Por essa occasião, demorou-se alguns dias na villa, residindo no castello – onde era n’esse tempo toda a Povoação – nas casas dos alcaides-móres.

Fonte Biblio PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de Portugal Antigo e Moderno Lisboa, Livraria Editora Tavares Cardoso & Irmão, 2006 [1873] , p.Tomo VI, pp. 593-594

Place of collection Penamacor, PENAMACOR, CASTELO BRANCO

Narrativa

When XIII Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications