Pieira de lobos

APL 67

Uma das maiores curiosidades de Ponte do Lima foi sempre o antigo mosteiro de Refojos, e não é menor nestes ultimos tempos, desde que o seu actual proprietario conseguiu descobrir nas telas e azulejos do convento o genio do grande Rafael.
 Ha annos acompanhei ali um amigo, de imaginação tão viva que ás vezes parece delirar; á saida fomos ver a celebre torre situada a curta distancia.
 — Tudo isto nos principios da monarchia — disse-me elle — era do cavalleiro D. Affonso Ancemondes, que foi quem doou o convento e mais bens aos frades, e cujo retrato agora te mostrei no corredor do mosteiro. Vou contar-te um caso que devéras me impressionou. Ha oito dias estive aqui de noite. Quando passava neste caminho estreito, vi dois cães grandes a par; tinham a configuração de lobos; atrás d’elles ia um homem a cavallo, que francamente não parecia d’este mundo. O luar, batendo-lhe em cheio no rosto, fez-me suppor que fósse a alma de Ancemondes, tão semilhante era ao retrato que hoje vimos. Digo-te mais: até se me afigurou que levava armadura…Dirigiu-se para aquella torre; segui-o; mas de repente desappareceu, e os dois cães voltaram para trás e passaram por mim correndo e uivando. Havia de afirmar que eram lobos. E de arripiar as carnes!
 — Que imaginação! — interrompi.
 — Não digo que não; mas o certo é que depois assomou áquella janella um vulto, e pude ouvir distinctamente estas palavras: «Mil annos, e talvez ainda outros mil, e outros e outros. Não importa, a eternidade é larga, e eu tenho sempre a esperança dos ultimos, dos que não tém de findar nunca!»
 «Perguntei na villa se alguem habitava a torre; asseveraram-me que não. Pareceu-me extraordinario.»
 Desatei a rir, o mister dos ignorantes. Num velho manuscripto fui encontrar mais tarde a historia que vou contar-lhes; deixei de rir, o que succede aos que sabem.


* *
 No principio as almas foram creadas irmãs duas a duas. O par vagueia no espaço immenso, unindo-se tão estreitamente, que o mesmo amor de si é desde logo abnegação e altruismo (caridade, diz o texto; moderniso para que me entendam).
 Um dia, quem sabe? talvez porque a desconfiança entrou num dos espiritos, quebrando a mystica união; talvez porque uma vaidade ou mera preoccupação egoista desfez o intimo laço, que é todo feito de amor, — nessa mesma hora a encarnação do culpado tornou-se inevitavel castigo.
 Ás vezes é permittido ao innocente vir tambem ao mundo penitenciar-se pelo ingrato, encurtando-lhe d’este modo o martyrio. E não chameis injusta essa licença; dizei antes que o vosso coração empedernido vos esfria a intelligencia, e nada percebeis de amores.


*
 Em paço acastellado, a que o roçar dos seculos tem vindo arrasando os primores e grandezas, nasceu Ancemondes, o mais destemido cavalleiro minhoto. Apesar de o haverem creado nos recontros com moiros, unia á força herculea e dexteridade a mais romantica imaginação e alma enternecida de que ha memoria. Bem apessoado e airoso, não eram apenas as filhas dos ricos-homens que, ao ouvir falar no seu nome, largavam o trabalho, em que se entretinham na camara de lavor, e quedavam scismando sonhos de ventura; tambem as moças do campo mostravam no colorido do rosto que não era a nenhuma indiferente o illustre senhor de Refojos.
 E D. Afonso, galanteando umas e outras das mais bellas, a cada qual entregava, durante dias ou horas apenas, a sua phantasia.
 O ardor com que amava era grande, mas a breve trecho se esvaía o enthusiasmo que lhe pozera em labaredas o coração. Nos intervallos frios o braço recusava-se a empunhar o montante, que jazia envergonhado na sala de armas do castello; mas logo que nova imagem de mulher se enthronisava no altar de seu amor tão vario, ai do sarraceno que se atrevesse a contar com o desfallecimento do campeão! Accendiam-se-lhe os brios, o genio indomava-se, e até o seu cavallo de combate, de triste e sombrio que andava em chouto desairoso, principiava a escarvar altivo, recurvando-se impaciente em relinchos desatinados.
 Apesar d’esta volubilidade e inconstancia, nem por isso as donzellas mais requestadas por tantissimos outros se arredavam do seu caminho!
 Parece que a força de imaginação do mancebo, preso a um ideal porventura inconsciente, que sem razão encarnava nesta ou naquella mulher, tinha um tal valor de induzimento, que uma por uma d’essas raparigas para quem se voltava, se via logo por magneticas seducções obrigada a imitar solicita a absorvente imagem que elle traria lá dentro de seus sonhos.
 E se era assim, poderia chamar-se constante, e sempre o mesmo o buliçoso amor do moço castellão: no tablado o mesmo papel é representado por diferentes actrizes, que por elle compoem os seus pensamentos, o sentir e o proprio rosto.


*
 Leitora paciente, que vais talvez arremessar para longe este escripto, parecendo-te mentiroso, dize-me: Nunca sentiste saudade de uma vida de que te não lembras? Nunca te pareceu ver nas feições do homem que passou, vagas semilhanças com alguem que não conheces, mas a quem sentes que entregarias a tua alma inteira, se um dia o encontrasses?
 Quem é pois esse alguem que no espaço ou no mundo te segreda sonhos de amor, e porventura tu mesma enleias inconscientemente, lá ao longe, onde sem o saber sentira talvez as palpitações de teu seio?!

 Estados ha em que uma das duas almas se acha que, produzindo tal excitação na alma irmã da sua, a obrigam a procurar a companheira pelo mundo todo, ou a despedaçar-se nos obstaculos do caminho.
 Ás vezes porém o choque do encontro é tão violento, que para longas eras afasta a reunião definitiva, — para mil annos, diz o auctor que sigo.
 Um d’esses estados é o da pieira de lobos, fado mais vulgar do que se imagina, mas pouco entendido nas cidades, porque só nos altos montes é corrido.
 Anda envolta em lendas poeticas a vida das pieiras; se tem havido até quem lhes negue a existencia!
 Mas sabe-se com segurança que, se nascerem sete filhas a seguir, a ultima ha de ser pieira, e só poderá evitar esse destino se for afilhada de uma das irmãs; que vai a malfadada viver para as montanhas desertas como pastora de lobos, que a respeitam, e a que ella dedica extremosa afeição, apaziguando suas contendas, e dividindo entre elles os excessos dos repastos, que os ferozes animaes tornam sempre tenros e abundantes.
 Se é castigo, se é premio viver assim entre feras que se transmudam em cavalheiros attenciosos, ha quem no tenha discutido. A muitos parece que, se nos povoados os homens ás vezes fingem de brutos, aquelle viver em serranias com brutos fingindo homens educados poderá haver mulheres que o appeteçam; — gostos e controversias em que não podemos entrar, principalmente desde que, segundo dizem experimentados, corações femininos existem que, semilhantes ás arvores que embalsamam o machado do lenhador, só a quem nas fere sabem amar devéras.


*
 Andava o nobre Affonso numa das suas epocas tristes e desalentadas; erguera-se de madrugada, e partíra para os montes da Labruja em busca dos ursos, que naquelles duros tempos infestavam a provincia. Fôra só, e só andára pela montanha durante o dia inteiro.
 Ao anoitecer avistou um lobo, despediu-lhe uma setta, que foi cravar-se entre os olhos, a que fizera pontaria.
 Fugiu espavorido o animal, e o cavalleiro largou á redea solta em seu encalço. Foi o lobo correndo e dando uivos medonhos, e o corcel perseguindo-o sempre na mais perigosa desfilada; até que a fera desappareceu, enfiando por entre dois grandes penedos.
 Não pôde o castellão sopear o impeto do ginete, que foi de encontro ás rochas, caindo tão desastradamente que o rico-homem tombou desacordado.

 O caçador, voltando a si, viu-se dentro de uma gruta muito espaçosa, elegantemente decorada com troncos de arvores e ramos de azevinho. Junto de seu leito, que era de folhas de carvalho, estava uma donzella apenas coberta de pelles de corça, afagando com ternura o focinho de um lobo, que gemia olhando-a meigamente.
 Com maus espiritos se reanimou o senhor de Refojos; encarou a sua hospedeira, cujas feições não podia distinguir, porque só alumiava a scena um resto de fogueira, a que se aqueciam dois lobos velhos.
 Como homem de guerra pouco affeito a esmiuçar enredos de bruxaria, afigurára-se-lhe sempre que as pieiras eram ambiciosas pastoras mais ladinas, que, esperando desenlaces de romance, illudiam os corações dos nobres, propensos ao maravilhoso. Enojou-o a armadilha, que para elle ou para outro fôra certamente preparada com paciente estudo no domar das feras.
 E tambem o indisporiam contra a donzella as festas que ella estava fazendo ao bicho, que por fugir da morte causara a quéda. Ha momentos de egoismo tão intenso, em que até a simples defeza alheia a considerâmos roubo aos nossos direitos de algoz.
 Estes sentimentos de desconfiança e maldade lhe atravessaram o espirito como relampago infernal, que secca os instinctos bons.
 A moça, reparando que abrira os olhos, e suppondo que seria de susto a perturbação do rosto, disse:
 — Não tenhais receio: nenhum d’estes queridos lobos se atreverá contra vós na minha presença. — E após curto silencio acrescentou: — Em má hora viestes, senhor cavalleiro, na setima da lua, a mais fatal de todas!
 Commoveu-se o mancebo, porque lhe dava aquella voz recordações vagas de cantares melodiosos a que ás vezes se enlaçava o seu pensamento.
 — Completou-se hoje o setimo anno do meu fado — continuou a pieira; — não póde ser casual a vossa entrada aqui. Dizei-me, que impulsos vos trouxeram, que sentimentos vos agitavam? Sereis vós o libertador por que espero ha tanto tempo?
 Foi passageira a impressão de ternura no maguado cerebro do guerreiro soberbo. Ergueu-se de chofre, e com modos desabridos respondeu:
 — Conheço a vossa industria, villanagem! Por minha fé, impostora, que não julgarieis de certo que teria vindo para vos quebrar o fado, se em vez de mim estivera aqui um de meus cavallariços. Pois esse merecerieis.
 Acudiu, o sangue ás faces da pieira; fulgor extraordinario lhe faiscou na vista; franziu os beiços, que mordeu.
 Era estranha e era sinistra a belleza que de golpe inundara o rosto d’aquella mulher incomprehensivel.
 Mixto de anjo e de demonio, de rainha e de selvagem, não poderia distinguir Ancemondes, estatico diante d’ella, se eram adorações, se odios, o que lá dentro se lhe revolvia no peito.
 — Não vos direi quem sou, ruim cavalleiro! Sabei porém que não venho de gente de comedias! A felicidade que vos esperava nenhum mortal a pôde ainda sonhar; mas os fados quebram-se com amores, os impetos do orgulho arredam para longe seu termo...
 O guerreiro não podia desprender os olhos dos olhos da gentil creatura, cuja voz e gesto o dominaram inteiramente.
 — Continuem os nossos fados a correr! — exclamou ella triste, mas solemne, estendendo a mão branca de jaspe.

 O senhor de Refojos caiu de joelhos aos pés da encantadora.
 Ella então, com um sorriso que deveria levar á alma de Affonso aquella sensação que por igual produz o escaldar e o gelo, disse pausadamente:
 — Julguei, senhor cavalleiro, que só a gentalha pedia esmolas de amor!
 — Perdão, perdão, senhora minha! — balbuciou arrependido o enamorado.

*

 O precioso codice que possuo tem folhas cortadas, em que estaria de certo a continuação da historia. Seguem-se alguns capitulos de muita sabença, tratando das regras para distinguir as verdadeiras das falsas pieiras, e do que havemos de fazer para as enontrar, livrando-nos de suas iras. Terminaremos porém seguindo a tradição.
 Ancemondes, depois de ter dado tudo que tinha aos frades, desappareceu, e annos depois começou a dizer-se que a alma penada do fidalgo, todos os annos durante sete noites sai da torre e se dirige para as montanhas.
 Só o meu amigo a ouviu falar. Nenhumas duvidas tenho sobre o phantasma. Aquella resignação, aquelle amor paciente e sem limites só podem ser de um morto, e a maneira exquisita de se referir á eternidade indica estar porora esse morto ligado ao tempo.
 Da pieira da Labruja não se sabe mais nada. Sejam como forem as theorias, ella sempre é mulher. Estou por isso em dizer que se irá entretendo com outros devaneios e afectos, emquanto a alma irmã da sua lá anda em romaria de penitencia e de amor!

Fonte Biblio BERTIANDOS, Conde de Lendas Ponte de Lima, Hospital Conde de Bertiandos, 1993 [1898] , p.63-76

Place of collection-, PONTE DE LIMA, VIANA DO CASTELO

ColectorConde de Bertiandos (M)

Narrativa

When XIX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications