Ponte inacabada

APL 1555

Quem vai de Pavia e para a Malarranha há uma ponte romana que dizem que foi feito pelo diabo, numa noite. Tinha como ajudantes bruxas e diabinhos. Ora, quando começou a fazer a ponte, cantou um galo louro e o diabo disse: “com este não tenho agouro”. Continuou a fazer a sua obra e cantou o galo pedrês, e ele disse: “ venha pedras, às duas e às três”. Passado um bom bocado, cantou o galo branco e ele disse: “ com esse não me espanto”. Era quase de dia e a ponte estava quase pronta, e nisto canta o galo preto, e ele disse: “ com este já não me meto”. E fugiu, deixando a ponte incompleta. Dizem que todas as noites ele tenta colocar as pedras que faltam, mas quando nasce o dia acha-se sempre a falta de uma ou duas.

Fonte Biblio DUARTE, Joaninha A Luz da Cal ao Canto do Lume Lisboa, Colibri, 2009 , p.268-269

Place of collection Cabeção, MORA, ÉVORA

InformanteJosé Aurélio Duarte (M), 79 y.o., Cabeção (MORA) ÉVORA,

Narrativa

When XXI Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications