Porto Judeu

APL 1309

Há cerca de cinco séculos, uma caravela, com povoadores para a ilha Terceira, aproximou-se de terra e lançou uma barca. Os marinheiros procuraram um lugar de fácil acesso, na costa. Encontraram, por fim, um local onde o mar entrava pela terra dentro, formando um porto natural quase perfeito. Decidiram que iam saltar ali.
 Esperando a melhor oportunidade por causa das ondas que ora subiam ora desciam, começaram a desembarcar um a um. Chegou a vez de um judeu, muito medroso, que não se atrevia a saltar para terra.
 Então um dos outros marinheiros, já aborrecido com a hesitação do homem, disse com voz forte, entre o zangado e o trocista:
 — Salta, judeu, senão salto eu.
 O judeu, com a esperteza característica da sua raça, resolveu-se a saltar, dizendo antes:
 — Salto eu e o porto é meu!
 Alguns riram, o judeu saltou para terra e lá continuou o desembarque. O povoamento da Terceira foi-se fazendo aos poucos e as terras foram ganhando nome, de acordo com as suas características físicas ou com outros acontecimentos importantes para os habitantes da ilha.
 Mas aquele porto já tinha sido definitivamente baptizado. No momento do desembarque algum dos marinheiros presentes, entre risos e graças, nomeou-o de Porto Judeu em lembrança ao episódio que ali se tinha dado. E se o dito porto e a freguesia que junto dele se desenvolveu não foram propriedade do tal judeu como ele desejou, ficaram, contudo, a lembrá-lo para todo o sempre através do seu nome — Porto Judeu.

Fonte Biblio FURTADO-BRUM, Ângela Açores: Lendas e outras histórias Ponta Delgada, Ribeiro & Caravana editores, 1999 , p.138-139

Place of collection Porto Judeu, ANGRA DO HEROÍSMO, ILHA TERCEIRA (AÇORES)

Narrativa

When XV Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications