Quebrar a Sina

APL 2962

Um rapaz dormia com o irmão numa casa, enquanto os pais dormiam numa outra casa ao lado. O rapaz comia, comia e andava sempre muito magro; até a mãe se lamentava dizendo não perceber o que é que o filho fazia à comida. Um dia, quando a mãe se lamentava, o outro filho diz-lhe:
— Ó mãe, olhe que o meu irmão sai todas as sextas-feiras à noite e volta sempre muito cansado.
Então a mãe pediu ao filho para este a chamar quando visse o irmão sair.
Na sexta-feira seguinte o rapaz saíu e o irmão foi chamar a mãe. Esta chegou ao quarto e voltou-lhe a roupa ao contrário. Dizia-se que era bom voltar a roupa ao contrário: se estivesse do lado direito voltava-se do avesso, se estivesse do avesso voltava-se do direito.
Em seguida subiu para cima de uma árvore e esperou que o filho voltasse. Quando este voltou, a mãe picou-o com uma agulhada (vara de picar os bois). O sangue saíu e a sina quebrou-se. O rapaz deixou de ser lobisomem.
Dizia-se que se a mãe ou o padrinho picassem o lobisomem e corresse sangue, ele quebrava a sina, mas se não fizesse sangue ele podia matar a pessoa que o picara.

Fonte Biblio JANA, Isilda Histórias à Lareira Abrantes, Palha de Abrantes, 1997 , p.43

Ano1992

Place of collection Bemposta, ABRANTES, SANTARÉM

ColectorCláudia Fernandes (F)

InformanteAlice Maria Oliveira (F), 82 y.o.,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications