Quinta do Ouro

APL 2288

Em dia santo de guarda, uma rapariga que se lavava e penteava à entrada duma mina, nas abas da serra (Gardunha), viu na areia um fio de ouro, que começou a enrolar-se-lhe vertiginosamente num dos pulsos. Já sentia chiar o carrinho de ouro, que vinha na extremidade do fio e trazia um mouro para a encantar, mas nesse momento soaram badaladas no sino da igreja, e, como a rapariga dissesse «Ai, Jesus, que tocam à missa!», o fio, desenrolando-se num instante com a mesma vertigem, sumiu-se na areia, e desfez-se o encanto.

Fonte Biblio VASCONCELLOS, J. Leite de Contos Populares e Lendas II Coimbra, por ordem da universidade, 1966 , p.794-795

Place of collection-, FUNDÃO, CASTELO BRANCO

Narrativa

When

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications