Santa ana

APL 919

Na aldeia de Ribalonga, pertencente ao Concelho de Alijó, há um lugar chamado Santa Ana.
 A razão deste nome está ligada a uma fraga comprida, de forma rectangular, que ali se encontra. A dita fraga apresenta, na parte superior, três sulcos que correspondem ao lugar da cabeça, do tronco e dos membros duma pessoa.
 Segundo a tradição, esses sinais foram ali deixados por Santa Ana que por ali passou, quando se dirigia para visitar os Lugares Santos.
 Exausta da longa e penosa caminhada que tivera de fazer, sem parar, durante o dia inteiro, vendo aproximar-se a noite, deitou-se em cima daquela pedra, para repousar.
 Então, a pedra, sob o peso da cansada peregrina, para lhe tornar o leito mais confortável, começou a amolecer e a tomar a configuração do seu corpo.
 Assim acomodada, naquela improvisada cama, Santa Ana bem depressa adormeceu e passou a noite num sono, como se estivesse já habituada a dormir em camas semelhantes.
 No dia seguinte, ao nascer do sol, já com as forças recuperadas, pôs-se de novo a caminho, sem que ninguém a tivesse visto.
 Pouco depois, quando os primeiros transeuntes ali passaram, a caminho do trabalho, deram conta da transformação que a fraga tinha sofrido e ficaram naturalmente muito admirados, pois não encontravam razões humanas que justificassem tal mudança.
 Esquecidos dos seus afazeres, voltaram à povoação a dar a notícia do que tinham descoberto.
 Os restantes moradores acorreram apressadamente ao local, cheios de curiosidade; e, quando lá chegaram, ficaram atónitos como os primeiros e não saíam dali, a tentar encontrar uma explicação para aquele fenómeno tão insólito.
 Como seria, como não seria, davam-se muitas explicações, mas nenhuma convincente.
 Depois de muito matutarem, levados apenas pelo instinto da verdade que lhes é peculiar, admitiram que tinha sido a Senhora Santa Ana, de quem eram muito devotos, que ali tinha estado e operara aquele milagre, para lhes demonstrar a sua estima e gratidão.
 Para agradecerem a subida honra que Santa Ana lhes concedera e perpetuar a memória de tão extraordinário acontecimento, deram àquele lugar o nome de Monte de Santa Ana.

Fonte Biblio FERREIRA, Joaquim Alves Lendas e Contos Infantis Vila Real, Edição do Autor, 1999 , p.80-81

Place of collection Ribalonga, ALIJÓ, VILA REAL

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications