Senhora do Monte, ou a lenda da ribeira de Cales

APL 3508

Quando os primeiros portugueses chegaram à Madeira com intuitos colonizadores, a ribeira à qual depois chamaram das Cales era uma das mais caudalosas e límpidas da ilha. As terras em volta eram férteis naturalmente, pela proximidade daquele volume sem fim de água.
    Um dia, porém, um grande senhor, sabendo, como toda a gente, da existência de uma nascente que brotava em abundância do meio da ribeira, decidiu captar e canalizar aquela água para as suas terras. Mandou cavar a rocha por debaixo da falha do terreno de onde brotava a fonte e, de súbito, a água sumiu-se por completo e a nascente secou.
    Gerou-se o pânico nas populações, que sabiam imprescindível à sua sobrevivência aquela água límpida e fresca. Os dias passavam, e a água não parecia querer voltar a aparecer. Então, o povo apegou-se à milagrosa Senhora do Monte e decidiu ir em romagem ao local em que se sumira a nascente, rezando à Virgem e implorando aos Céus que se amerceasse da sua sorte. E o milagre esperado deu-se:
a água recomeçou a borbotar do fundo da terra, mas, embora límpida e fresca como antes, em menor quantidade.
    As gentes deram então graças aos Céus e à Virgem e iniciaram imediatamente a abertura de rego, Cales, como lhe chamaram. Aproveitando assim a ideia de canalizar a levada, tal como o grande senhor fizera tempos atrás, as populações conseguiram dar nova vida e revigorar as hortas e as fazendas.
    Desde então se ficou designando ribeira das Cales àquela levada, e nunca mais se apagou da memória popular o milagre da Senhora do Monte.

Fonte Biblio FRAZÃO, Fernanda Passinhos de Nossa Senhora - Lendário Mariano Lisboa, Apenas Livros, 2006 , p.107

Place of collection-, FUNCHAL, ILHA DA MADEIRA (MADEIRA)

ColectorVisconde do Porto da Cruz (M)

Narrativa

When XIV Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications