Serra Dormida

APL 1339

Muitos dos primeiros habitantes das Pedreiras, na Graciosa, eram pessoas da Terceira, principalmente de S. Pedro de Angra, que pensavam que a Ilha Branca ia ser o melhor lugar para viverem e criarem os seus filhos. Entre essas pessoas veio a senhora Maria Inácia e o marido, que se estabeleceram nesse lugarejo da Graciosa. Gostaram da terra, ali ficaram e tiveram os seus filhos. Um deles Sebastião, era um jovem com espírito aventureiro e a pequenez das Pedreiras era muito pouco para os seus sonhos.
 Muito novo conseguiu que os pais o deixassem ir para a Terceira, para casa de uns parentes. Nessa ilha estudou e aí se ordenou sacerdote.
 Estava-se nos finais do século dezassete. O Brasil era a terra da esperança e o padre Sebastião do Conde partiu com o sonho de pregar evangelho e tentar a sorte.  
 Por lá ficou alguns anos, fez fortuna e voltou à Graciosa com a ideia firme de construir uma ermida a Nossa Senhora de Monserrate, próximo de um dos montes mais altos da ilha, como tinha prometido.
 Comprou muitas terras, fez o seu testamento e dotou a futura ermida com algum dinheiro para a sua conservação.
 Mas o mundo dá muitas voltas e o padre Conde teve de sair da Graciosa por algum tempo. A sorte não o deixou voltar e cumprir a promessa que tanto acarinhava. Durante a ausência da ilha adoeceu e morreu.
 Os seus bens passaram para os parentes, que aplicaram o dinheiro naquilo que bem entenderam, esquecendo-se de levantar a ermida, como era vontade do padre Sebastião do Conde.
 A Ermida de Monserrate nunca chegou a existir, mas a ideia deste templo e o sítio onde devia ter sido construído estava tão presente na memória do povo que passou a chamar, pouco a pouco, Serra da Ermida à parte oposta à Serra da Cova.
 Os anos passaram e as pessoas também. Outras vieram e, como não viam nenhuma ermida no lugar e porque o povo tem tendência para alterar as palavras, passaram a chamar Serra Dormida à Serra da Ermida.

Fonte Biblio FURTADO-BRUM, Ângela Açores: Lendas e outras histórias Ponta Delgada, Ribeiro & Caravana editores, 1999 , p.172-173

Place of collection Santa Cruz Da Graciosa, SANTA CRUZ DA GRACIOSA, ILHA DA GRACIOSA (AÇORES)

Narrativa

When XVII Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications