Vila Nova de S. Bento

APL 2577

Conta-se que no tempo da guerra da restauração, na guerra com os espanhóis em 1640 sensivelmente houve uma batalha muito grande no Alentejo. O Alentejo, devido ás suas vastas planícies, foi palco de grandes batalhas. E contam que na aldeia, as pessoas que lutavam eram muito poucas; então resolveram juntar-se, ou seja, a aldeia antes era composta por duas aldeias, a Aldeia da Fonte do Canto e a Aldeia da Cabeça de Vaqueiros. Uma delas pertencia à parte mais alta da aldeia e outra à parte mais baixa. Resolveram juntar-se para serem um pouco mais porque os espanhóis eram muitos. Havia uma menina na aldeia que gostava de um rapaz de lá mas ele não lhe ligava, não mostrava interesse por ela. Um espanhol que foi lá lutar também gostava dela e começaram a namorar. O outro rapaz ficou muito triste e falou com ela dizendo-lhe que gostava dela e dessa forma juraram amor eterno. Então em torno desta história criaram-se duas frentes de batalha, uma comandada pelo tal espanhol e outra pelo tal português. A menina e sua avó rezaram muito tal como todas as outras pessoas da aldeia pela saúde do rapaz e de todos os homens que lutavam pela aldeia, rezaram pela vitória. E rezaram a quem? Conta-se que rezaram ao S. Bento. Como conclusão os espanhóis retiraram-se e os portugueses apesar de poucos saíram vitoriosos. Logo, as pessoas da aldeia pensaram: “se somos mais fortes juntos vamos ficar juntos para sempre”. E ficou Aldeia Nova de S. Bento em homenagem à junção das duas aldeias e ao S. Bento a quem oraram e tanta fé depositaram.

Fonte Biblio AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Ano2005

Place of collection Aldeia Nova De São Bento, SERPA, BEJA

ColectorÂngela Valadas (F)

InformanteAugusta Valadas (F), 30 y.o., born at Aldeia Nova De São Bento (SERPA) BEJA,

Narrativa

When1640

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications