Vizella (São Payo)

APL 3472

Refiramos tambem a origem do epitheto casamenteiro das velhas, como n’esta freguezia se conta, attribuido a S. Gonçalo e de que falla a cantiga popular:

S. Gonçalo d’Amarante,
Casamenteiro das velhas,
Porque não casaes as novas?
Que mal vos fizeram ellas?

    Conta-se assim: Era aqui abbade o Santo e na sua faina pastoral, percorrendo a freguezia encontrou uma sua parochiana já velha, pobre e que só inspirava compaixão, á qual dirigiu a palavra, e lhe perguntou porque não havia ella de casar (era solteira) para ter quem a amparasse, Tão estranha pergunta deixou attonita a velha e não soube responder. «Ao primeiro homem que encontrares, volve o santo, falla-lhe em casamento.» Dito isto continuou seu caminho.
    A mulher foi pensando no que o abbade lhe havia dito e poucos passos andados vê um jovem, filho d’uma das primeiras casas da freguesia. Avistando-o rompeu em estrondosas gargalhadas.
    Aturdido o mancebo com as risadas da velha, quiz saber a rasão; por seu turno teve conhecimento das palavras do santo abbade, e respondeu: tudo pode ser; ninguem diga d’esta agua não beberei.
    Poucos dias depois a parochia assistia ao casamento da pobre velha com o rico proprietario, unidos e abençoados pelo santo abbade.
    E as bençâos do ceu, diz a lenda, cahiram n’aquella casa, pois com o sabio governo da sua nova dona prosperou e augmentou consideravelmente.

Fonte Biblio PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de Portugal Antigo e Moderno Lisboa, Livraria Editora Tavares Cardoso & Irmão, 2006 [1873] , p.Tomo XII, p. 1967

Place of collection Vizela (São Paio), VIZELA, BRAGA

Narrativa

When

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications