Pessoas Devoradas

Results 1 thru 18
Page 1 of 1

APL 2247
A Cruz de João de Amores

VASCONCELLOS, J. Leite de, Contos Populares e Lendas II, Coimbra, por ordem da universidade, 1966 , 696
- (SABUGAL) GUARDA

Entre Souto e Vila Boa, concelho do Sabugal, na estrada, há um cruzeiro, chamado Cruz de João de Amores.
 Por cruzeiro entende-se uma pedra de forma de estrela, em ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição de Memória]

APL 157
A cruz do preto dos almendres

AA. VV., -, Lendas e Tradições, Évora, EBM's de Guadalupe, S. Sebastião da Giesteira e Valverde, 1999 , 9-10
Nossa Senhora De Guadalupe (ÉVORA) ÉVORA

Bom, o caso começou por aqui...
 Havia um preto ali, naquele monte. Foi criado ali de pequenino, de qualquer maneira - no tempo da guerra, as pessoas fugiam; cada qual ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 1825
A eira do lobo

AA. VV., -, Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas), Faro, n/a,

O rapaz foi ver a namorada, o filho do sargento e afinal de contas quando veio de volta para casa caiu do cavalo. O cavalo apareceu em casa, naturalmente os ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 2494
A fonte do some dor

AA. VV., -, Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas), Faro, n/a,
- (AVIS) PORTALEGRE

Foi assim um homem que ia de S. Martinho para a Covada, e tinha que passar lá num sítio que se chamava a fonte do some dor, havia l ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 159
A lenda da cruz do preto

AA. VV., -, Lendas e Tradições, Évora, EBM's de Guadalupe, S. Sebastião da Giesteira e Valverde, 1999 , 11
São Sebastião Da Giesteira (ÉVORA) ÉVORA

Conta a lenda que havia um homem que morava nos Almendres e costumava ir aos bailes à Herdade da Torre.
 Um dia ele foi a um baile e só abalou para ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 1897
A Portela dos Meninos

VASCONCELLOS, J. Leite de, Contos Populares e Lendas II, Coimbra, por ordem da universidade, 1966 , 462-464
Mexilhoeira Grande (PORTIMÃO) FARO

Uma mulher estava grávida e deitada, e ouviu a criança chorar. E ela disse para o marido: «Ai, José, tu não ouviste o que eu ouvi!» E ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 1079
Comido pelos lobos

HENRIQUES, Francisco , Contos Populares e Lendas dos Cortelhões e dos Plingacheiros, Vila Velha de Ródão, Associação de Estudos do Alto Tejo, 2001 , 66-67
Vila Velha De Ródão (VILA VELHA DE RÓDÃO) CASTELO BRANCO

A tarde tinha terminado, com ela a claridade e a jornada de trabalho.
Agora, ali estavam os três sentados, apáticos, a olhar o lume que lhes afogueava as ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 2743
Fiães

PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de, Portugal Antigo e Moderno, Lisboa, Livraria Editora Tavares Cardoso & Irmão, 2006 [1873] , Tomo III, p. 184
Fiães (MELGAÇO) VIANA DO CASTELO

Em 1861 foram devastadas as povoações gallegas de Padrenda, Monte Redondo e Gazgoa, por uma féra, que uns diziam ser lobo, outros tigre, outros javalí, etc.
D’alli ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Científico]

APL 2599
História da Eira dos Lobos

AA. VV., -, Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas), Faro, n/a,
Santa Catarina Da Fonte Do Bispo (TAVIRA) FARO

Dizem que antigamente ia um homem em cima de um burro e que de repente aparecem vários lobos à frente dele. E pronto, os lobos atacam o burro, o burro ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 158
Lenda da cruz do preto

AA. VV., -, Lendas e Tradições, Évora, EBM's de Guadalupe, S. Sebastião da Giesteira e Valverde, 1999 , 10
São Sebastião Da Giesteira (ÉVORA) ÉVORA

Os lavradores noutro tempo tinham ali um preto e o preto ia para todo o lado, para a Boa Fé, para aqui e para ali e não tinha medo ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 168
Lenda da cruz do preto

AA. VV., -, Lendas e Tradições, Évora, EBM's de Guadalupe, S. Sebastião da Giesteira e Valverde, 1999 , 40
São Sebastião Da Giesteira (ÉVORA) ÉVORA

Os lavradores noutro tempo tinham ali um preto e o preto ia para todo o lado, para a Boa Fé, para aqui e para ali e não tinha medo ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 546
O cabeço do cachopinho

MOURA, José Carlos Duarte, Contos, Mitos e Lendas da Beira, Coimbra, A Mar Arte, 1996 , 7
Alcains (CASTELO BRANCO) CASTELO BRANCO

Em Alcains há um cabeço com este nome: dizem que há muitos anos um cochopinho que andava ali o guardar o seu rebanho desapareceu. Depois de muito procurar o ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 778
O carteiro e os lobos

PARAFITA, Alexandre, Património Imaterial do Douro - Narrações Orais (contos, lendas, mitos) Vol. 1, Peso da Régua, Fundação Museu do Douro, 2007 , 186
Sendim (TABUAÇO) VISEU

Antigamente, o carteiro daqui ia buscar o correio a Tabuaço. Ia a pé, pois nesse tempo não havia estrada. As pessoas subiam aqui ao cimo de Sendim, iam ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 976
O homem ateu

AA. VV., -, Literatura Portuguesa de Tradição Oral, s/l, Projecto Vercial - Univ. Trás -os-Montes e Alto Douro, 2003 , CF8
Vilarelho Da Raia (CHAVES) VILA REAL

Conta-se que um homem ateu dizia todos os dias da sua vida que, quando morresse, queria ser lançado aos lobos. Quando faleceu, foi enterrado no cemitério e todos ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 768
[O rapaz e os lobos]

PARAFITA, Alexandre, Património Imaterial do Douro - Narrações Orais (contos, lendas, mitos) Vol. 1, Peso da Régua, Fundação Museu do Douro, 2007 , 171
Sendim (TABUAÇO) VISEU

Na aldeia [de Sendim] morava um rapaz camponês, forte e destemido, que namorava uma moça no lugar de Vale de Penela, a qual visitava todos os domingos, regressando ...

[Unsure / Uncommitted] [Citação]

APL 865
Os Lobos

CAMPELO, Álvaro, Lendas do Vale do Minho, Valença, Associação de Municípios do Vale do Minho, 2002 , 89-91
- (MELGAÇO) VIANA DO CASTELO

No tempo em que de noite não havia luz em lado nenhum, os lobos vinham com frequência visitar as casas. Nas noites escuras de Inverno, quando certos barulhos ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 645
Santo António e o Lobo Branco

DIAS, Jaime Lopes, Contos e Lendas da Beira, Coimbra, Alma Azul, 2002 , 26-29
Toulões (IDANHA-A-NOVA) CASTELO BRANCO

A ânsia de maiores rendimentos e a necessidade de melhor aproveitamento dos extensos incultos de entre Zebreira e Alcafozes, levaram alguns moradores desta última povoação — a que se juntaram ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 3473
Zebreira

PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de, Portugal Antigo e Moderno, Lisboa, Livraria Editora Tavares Cardoso & Irmão, 2006 [1873] , Tomo XII, pp. 2089-2090
Zebreira (IDANHA-A-NOVA) CASTELO BRANCO

Em 1841 no monte (aldeia) de Toulões um lobo no espaço de dois mezes devorou muitas pessoas, a primeira das quaes foi uma rapariga de 16 annos. Da ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Científico]


Results 1 thru 18
Page 1 of 1