Haunted Places

Results 1 thru 25
Page 1 of 4       1 | 2 | 3 | 4 >

APL 2754
A alma da jovem pastora

PARAFITA, Alexandre, O Maravilhoso Popular - Lendas, contos, mitos, Lisbon, Plátano Editora, 2000 , 65
Santa Cruz (VINHAIS) BRAGANÇA None [Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 2755
A alma do abade

PARAFITA, Alexandre, O Maravilhoso Popular - Lendas, contos, mitos, Lisbon, Plátano Editora, 2000 , 68
Agrochão (VINHAIS) BRAGANÇA None [Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 2553
[A Bailarina do Teatro Lethes]

AA. VV., -, Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas), Faro, n/a,
Faro (Sé) (FARO) FARO None [Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 358
A cana verde

PINHO, Isabel, Contos e Lendas da Serra Nostra, S. Pedro do Sul, Câmara Municipal de S. Pedro do Sul, 1998 , 17
São Pedro Do Sul (SÃO PEDRO DO SUL) VISEU

Numa aldeia perto de S. Pedro do Sul existe uma casa, que tem um brasão de origem moura.
 Diz o povo que viveu nessa casa um nobre chamado Hazabar ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 891
A Capela de S. Sebastião

CAMPELO, Álvaro, Lendas do Vale do Minho, Valenca, Associação de Municípios do Vale do Minho, 2002 , 203
- (VILA NOVA DE CERVEIRA) VIANA DO CASTELO

Conta-se que o caminho em direcção às Mourelas era uma via a evitar quando o sol se punha. Um dia alguém da terra indo às tantas da noite ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 592
A casa assombrada

MOURA, José Carlos Duarte, Contos, Mitos e Lendas da Beira, Coimbra, A Mar Arte, 1996 , 60-61
- (PROENÇA-A-NOVA) CASTELO BRANCO

Havia um casal que morava num vale. A uma certa altura o marido morreu, e sem filhos a mulher ficou sozinha. Passado um tempo ela morreu também. A casa ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 945
A casa assombrada

AA. VV., -, Literatura Portuguesa de Tradição Oral, s/l, Projecto Vercial - Univ. Trás -os-Montes e Alto Douro, 2003 , AP6
- (PENAFIEL) PORTO

Há muito, muito tempo atrás, numa aldeia do Norte, havia uma velha que vivia num casarão que ficava um pouco retirado do povoado. Essa velha vivia sozinha e ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 2633
A casa assombrada

AA. VV., -, Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas), Faro, n/a,
- (PORTIMÃO) FARO None [Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1171
A casa assombrada

MOURA, José Carlos Duarte, Histórias e Superstições na Beira Baixa, Castelo Branco, RVJ editores, 2008 , 21
Ladoeiro (IDANHA-A-NOVA) CASTELO BRANCO

Havia no Ladoeiro uma casa que segundo o povo ninguém queria para lá ir a morar.
 Mas um casal recém-casado não tendo mais nenhum sítio para ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 2379
[A Casa Assombrada]

AA. VV., -, Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas), Faro, n/a,
Olhão (OLHÃO) FARO None [Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 354
A casa roubada

PINHO, Isabel, Contos e Lendas da Serra Nostra, S. Pedro do Sul, Câmara Municipal de S. Pedro do Sul, 1998 , 14-15
- (SÃO PEDRO DO SUL) VISEU

Há muitos anos atrás, na minha povoação, havia um homem que tinha mais dois irmãos. Os pais deles, ao morrerem, deixaram escrito que a casa onde eles ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1935
[A costureirinha]

AZEVEDO, Ana, A Literatura Oral na Comunidade Emigrante Portuguesa em Montreal, Faro, Universidade do Algarve, 2002 , # 167
- (BEJA) BEJA

Era uma senhora que era costureira e tinha uma grande doença. E prometeu que se curasse dava a máquina de costura a um santo qualquer.
E depois curou-se ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 2574
A costureirinha

AA. VV., -, Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas), Faro, n/a,
- (OURIQUE) BEJA None [Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 2321
A costureirinha

AA. VV., -, Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas), Faro, n/a,
- (FARO) FARO None [Convinced Belief] [Oral transcription]

APL 2342
A costureirinha

AA. VV., -, Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas), Faro, n/a,
Algoz (SILVES) FARO None [Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 842
A costureirinha

VILHENA, M. Assunção, Gentes da Beira Baixa, Lisbon, Colibri, 1995 , 105
- (PROENÇA-A-NOVA) CASTELO BRANCO

Havia uma costureira que trabalhava muito todos os dias e até domingos e dias santos de guarda.
 Depois de ela morrer, continuaram a ouvir, de noite, a máquina a ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1799
A Costureirinha

AA. VV., -, Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas), Faro, n/a,
Monchique (MONCHIQUE) FARO

[Era] uma rapariga que andava na costura, e disse que com o primeiro dinheiro comprava um manto para a Nossa Senhora, com o primeiro dinheiro que ganhasse na costura. E ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1797
A Costureirinha

AA. VV., -, Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas), Faro, n/a,
Almansil (LOULÉ) FARO

Foi uma rapariga que era costureira e depois adoeceu; uma doença muito má que os médicos não davam cura à doença [não encontravam cura para a ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1818
A Costureirinha

AA. VV., -, Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas), Faro, n/a,
Alcantarilha (SILVES) FARO

Havia uma rapariga nova que era costureira e que tinha muita habilidade, tinha muitas clientes, tinha muito serviço. E então, talvez por isso adoeceu com uma doença ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 365
A estrada assombrada

PINHO, Isabel, Contos e Lendas da Serra Nostra, S. Pedro do Sul, Câmara Municipal de S. Pedro do Sul, 1998 , 28
Manhouce (SÃO PEDRO DO SUL) VISEU

Antigamente, quando ainda se utilizava a via romana para fazer a ligação Porto Viseu, os mercadores faziam a viagem a cavalo e tinham que fazer várias paragens durante ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 950
A Janvelha

AA. VV., -, Literatura Portuguesa de Tradição Oral, s/l, Projecto Vercial - Univ. Trás -os-Montes e Alto Douro, 2003 , AP11
Eixo (AVEIRO) AVEIRO

Na freguesia de Eixo, Aveiro, havia uma mulher que se chamava Maria mas que era conhecida como Janvelha. Segundo se conta, ela tinha esta alcunha porque era considerada uma bruxa ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1481
Alcobaça (2)

PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de, Portugal Antigo e Moderno, Lisbon, Livraria Editora Tavares Cardoso & Irmão, 2006 [1873] , tomo I, p.75
Alcobaça (ALCOBAÇA) LEIRIA

The castle of Alcobaça is haunted by the ghost of a lascivious Moor who lures beautiful girls with its charming voice down to his palace, hidden beneath the castle ...

[Unsure / Uncommitted] [Scientific written text]

APL 1237
A legião de Demónios e a ilha de S. Miguel

FURTADO-BRUM, Ângela, Açores: Lendas e outras histórias, Ponta Delgada, Ribeiro & Caravana editores, 1999 , 61
- (PONTA DELGADA) ILHA DE SÃO MIGUEL (AÇORES)

No princípio do segundo quartel do século quinze, os marinheiros que tripulavam as naus de Frei Gonçalo Velho Cabral, aproximavam-se da ilha dos Açores a que ...

[Unsure / Uncommitted] [Scientific written text]

APL 2013
A lenda da Costureirinha

AA. VV., -, Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas), Faro, n/a,
Olhão (OLHÃO) FARO

E então, a lenda da costureirinha dizia que havia uma menina que era muito pobrezinha e que o pai e a mãe dela morreram num acidente. Depois uma ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1809
A Lenda da Costureirinha

AA. VV., -, Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas), Faro, n/a,
Vila Real De Santo António (VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO) FARO

Eu não sei a promessa que ela fez, não sei o que é que ela prometeu… ela era uma rapariga que cosia e, então, não sei que ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]


Results 1 thru 25
Page 1 of 4       1 | 2 | 3 | 4 >