Enchanted Treasures

Results 276 thru 300
Page 12 of 14       < 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 >

APL 25
O encanto do penedo encavalado

CAMPOS, Beatriz C. D., Tarouca, Folclore e Linguística, Tarouca, Câmara Municipal de Tarouca / Escola Preparatória de Tarouca, 1985 , 20
Mondim Da Beira (TAROUCA) VISEU

Em Mondim de Cima há um lugar que se chama mesmo Penedo Encavalado por lá haver um penedo em cima de outro. Por baixo há uma mina. De uma vez ...

[Some Belief] [Oral transcription]

APL 575
O escorpião e o tesouro

MOURA, José Carlos Duarte, Contos, Mitos e Lendas da Beira, Coimbra, A Mar Arte, 1996 , 28
Sobral Do Campo (CASTELO BRANCO) CASTELO BRANCO None [Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1596
O Forno da Cal

OLIVEIRA, Francisco Xavier d'Ataíde, As Mouras Encantadas e os Encantamentos do Algarve, Loule, Notícias de Loulé, 1996 [1898] , 247-250
Odiáxere (LAGOS) FARO

No sítio do Escampadinho, propriedade do senhor José Florêncio de Sousa Castelo Branco, a uns 1500 metros de Odeaxere, à esquerda da estrada nova, que segue desta povoação ...

[Unsure / Uncommitted] [Scientific written text]

APL 3359
Oleiros (2)

PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de, Portugal Antigo e Moderno, Lisbon, Livraria Editora Tavares Cardoso & Irmão, 2006 [1873] , Tomo VI, p. 223
Oleiros (OLEIROS) CASTELO BRANCO None [Unsure / Uncommitted] [Scientific written text]

APL 3360
Olho de Mira

PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de, Portugal Antigo e Moderno, Lisbon, Livraria Editora Tavares Cardoso & Irmão, 2006 [1873] , Tomo VI, p. 240
Minde (ALCANENA) SANTARÉM None [Unsure / Uncommitted] [Scientific written text]

APL 146
O merendeiro e a grade de ouro

SOUSA, Albano Martins de, Terras do Concelho de Sátão, Satao, Câmara Municipal do Concelho de Sátão, 1991 , 348
- (SÁTÃO) VISEU

Entre a Abrunhosa e o Travacinho, dum e doutro lado do caminho velho que ligava o Sátão ao Ladário de outros tempos, há uma zona cheia de ...

[Unsure / Uncommitted] [Ludic written text]

APL 295
O Moinho da Sarreira

MORGADO, Isabel, Viagens ao Imaginário, Torres Vedras, Centro de Formação das Escolas de Torres Vedras, 1999 , 27
- (TORRES VEDRAS) LISBOA

Conta a lenda que no moinho da Sarreira (da Doutora) certas noites ouve-se os cantos da moura encantada. E, quem não temer de ir lá acima a partir de ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 80
O moleiro do rio Ovil

PINTO, Maria Luisa Carneiro, Por Terras de Baião, Porto, sem editora, 1949 , 174-179
- (BAIÃO) PORTO

Foi uma vez certo moleiro nadar no rio Ovil, num poço entre as penedias, ali para baixo do lugar do Giraldo.
 Quando quis sair da água, alguma coisa o ...

[Convinced Disbelief] [Oral transcription]

APL 3156
O molho da lenha e as correntes de ouro

PARAFITA, Alexandre, Património Imaterial do Douro (Narrações Orais), Vol. 2, Peso da Régua, Fundação Museu do Douro, 2010 , 274
Vila Flor (VILA FLOR) BRAGANÇA None [Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 3798
[O Mourinho do Arco da Senhora do Repouso (2)]

OLIVEIRA, Francisco Xavier d'Ataíde, As Mouras Encantadas e os Encantamentos do Algarve, Loule, Notícias de Loulé, 1996 [1898] , 152, Cap. XV
Faro (Sé) (FARO) FARO
Motifs: F222.1., F721.5.1.,
None [Unsure / Uncommitted] [Scientific written text]

APL 3802
[O Mourinho e a Lavadeira]

OLIVEIRA, Francisco Xavier d'Ataíde, As Mouras Encantadas e os Encantamentos do Algarve, Loule, Notícias de Loulé, 1996 [1898] , 172-173, cap. XIX
Moncarapacho (OLHÃO) FARO
Motifs: F178.1., F349.,
None [Unsure / Uncommitted] [Scientific written text]

APL 50
O mourinho encantado

FERNANDES, Maria Emília, Mourinhos e Mouras Encantadas em Cacela, Vila Real de Santo António, Câmara Municipal de Vila real de Santo António, 2007 , 14
Vila Nova De Cacela (VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO) FARO

No serro dos Barros vivia um rapazinho encantado, muito triste e pobrezinho, que dizia às pessoas que o viam que estava a guardar a riqueza do serro. Certo dia, a ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1754
[O mouro encantado em touro]

REIS, Elisabete Andrade, Uma viagem pela literatura oral de Maria do Carmo Martins, Faro, Universidade do Algarve, 2005 , Texto nº 29
Alte (LOULÉ) FARO

A história do mouro era uma oliveira que estava numa cerca, uma oliveira muito velha, que ninguém lhe mexia. Lavravam de roda, mas não cortavam a oliveira ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 866
O Outeiro Pedroso

CAMPELO, Álvaro, Lendas do Vale do Minho, Valenca, Associação de Municípios do Vale do Minho, 2002 , 99
- (MONÇÃO) VIANA DO CASTELO
Motifs: R211.3.,

Lá para os lados do Monte do Castelo, na freguesia de Sago, existia, como o próprio nome o diz, um castelo onde moravam, em tempos antigos, os mouros. Quem ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 3082
O padre e as libras de ouro

PARAFITA, Alexandre, Património Imaterial do Douro (Narrações Orais), Vol. 2, Peso da Régua, Fundação Museu do Douro, 2010 , 182
Marzagão (CARRAZEDA DE ANSIÃES) BRAGANÇA None [Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1597
O Palácio sem Portas

OLIVEIRA, Francisco Xavier d'Ataíde, As Mouras Encantadas e os Encantamentos do Algarve, Loule, Notícias de Loulé, 1996 [1898] , 251-253
- (LAGOS) FARO

Proximamente a Lagos, ao sair da ponte que segue para Odiaxere, houve uma horta e dentro desta um prédio alto de bem extraordinária construção. Não tinha ...

[Unsure / Uncommitted] [Scientific written text]

APL 2935
O Parto da Moura (outra versão)

JANA, Isilda, Histórias à Lareira, Abrantes, Palha de Abrantes, 1997 , 10
Mouriscas (ABRANTES) SANTARÉM
Types: 5070,
None [Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1881
O Pego Escuro

OLIVEIRA, Francisco Xavier d'Ataíde, Contos Tradicionaes do Algarve, Vol. II, Porto, Typographia Universal, 1905 , 266-268
São Bartolomeu De Messines (SILVES) FARO

Na ribeira que atravessa a freguesia de S. Bartholomeu de Messines, pelo lado da serra ha um pego, grande e fundo, cujas aguas se apresentam sempre com uma côr ...

[Unsure / Uncommitted] [Memory transcription]

APL 2276
O Penedo de Frias

VASCONCELLOS, J. Leite de, Contos Populares e Lendas II, Coimbra, por ordem da universidade, 1966 , 765-766
Algodres (FORNOS DE ALGODRES) GUARDA None [Unsure / Uncommitted] [Memory transcription]

APL 270
O penedo do sino

AA. VV., -, Douro Litoral, 5ª Série, IX, n/a, s/ed., 1953 , 66-67
- (PAÇOS DE FERREIRA) PORTO

A curta distância da Citânia, para os lados de Bustelo, viveu em recuados tempos um humilde guardador de gado que tinha na sua companhia uma única filha. Do ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 2271
O Penedo do Sino

VASCONCELLOS, J. Leite de, Contos Populares e Lendas II, Coimbra, por ordem da universidade, 1966 , 760-762
- (PAÇOS DE FERREIRA) PORTO None [Unsure / Uncommitted] [Ludic written text]

APL 1693
O Penedo Negro ou Calhau Encantado

AA. VV., -, Literatura da tradição oral do concelho de Vila Real, s/l, UTAD / Centro de Estudos de Letras (Projecto: Estudos de Produção Literária Transmontano-duriense),
Borbela (VILA REAL) VILA REAL

Contavam os velhinhos à lareira quando vinha pr’aqui para férias, para casa dos meus avós, que no cima aqui da serra do Alvão, no lugar por cima ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 271
O penedo vazado

AA. VV., -, Douro Litoral, 5ª Série, IX, n/a, s/ed., 1953 , 68
Eiriz (PAÇOS DE FERREIRA) PORTO

Já se passaram alguns séculos quando isto teria acontecido...
 Um humilde lavrador de Eiris partira com o gado para as bandas da Citânia. Vigiando a vaca, as chibas ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 3646
O pequeno pastor e a moura

PARAFITA, Alexandre, A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros, Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , 292
Vilar De Ferreiros (MONDIM DE BASTO) VILA REAL
Motifs: C331.,
None [Unsure / Uncommitted] [Citation/Quote]

APL 1699
O poço das Panóias

AA. VV., -, Literatura da tradição oral do concelho de Vila Real, s/l, UTAD / Centro de Estudos de Letras (Projecto: Estudos de Produção Literária Transmontano-duriense),
Vale De Nogueiras (VILA REAL) VILA REAL

Uma senhora passou de manhã, ia bender p’ra Bila, por conta de outra pessoa, e então encontrou lá muitos figos, um sequeiro de figos. E então a ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]


Results 276 thru 300
Page 12 of 14       < 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 >