Enchanted Treasures

Results 26 thru 50
Page 2 of 14       < 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 >

APL 1600
A Fonte de Espiche

OLIVEIRA, Francisco Xavier d'Ataíde, As Mouras Encantadas e os Encantamentos do Algarve, Loule, Notícias de Loulé, 1996 [1898] , 261-262
Luz (LAGOS) FARO

Próximo da Fonte de Espiche morava em tempos, que já lá vão, um pobre homem, se é que morada se pode chamar ao campo desnudado, onde ele, ao relento ...

[Unsure / Uncommitted] [Scientific written text]

APL 1025
A fonte de São João

AA. VV., -, Literatura Portuguesa de Tradição Oral, s/l, Projecto Vercial - Univ. Trás -os-Montes e Alto Douro, 2003 , ME14
Cimo De Vila Da Castanheira (CHAVES) VILA REAL

Certo dia, quando um homem passava em frente à fonte de São João, viu sobre a pedra da fonte uma bela moura, de lindos cabelos compridos apanhando o sol ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 3540
[A fonte do Castro de Baçal]

PARAFITA, Alexandre, A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros, Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , 212
Baçal (BRAGANÇA) BRAGANÇA None [Unsure / Uncommitted] [Citation/Quote]

APL 3642
A Fonte do Ouro

PARAFITA, Alexandre, A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros, Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , 290
Valverde (MOGADOURO) BRAGANÇA None [Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 3608
A Fonte do Pingo

PARAFITA, Alexandre, A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros, Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , 263-264
Sendim (MIRANDA DO DOURO) BRAGANÇA None [Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 3521
[A Fonte dos Vilarelhos]

PARAFITA, Alexandre, A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros, Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , 202
Vilarelhos (ALFÂNDEGA DA FÉ) BRAGANÇA None [Unsure / Uncommitted] [Citation/Quote]

APL 3130
A Fraga da Moura de Candoso

PARAFITA, Alexandre, Património Imaterial do Douro (Narrações Orais), Vol. 2, Peso da Régua, Fundação Museu do Douro, 2010 , 239
Candoso (VILA FLOR) BRAGANÇA None [Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 3733
A Fraga da Moura de Seixo de Manhoses

PARAFITA, Alexandre, A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros, Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , 352-353
Seixo De Manhoses (VILA FLOR) BRAGANÇA None [Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 3770
A fraga da Moura de Sobreiró de Cima

PARAFITA, Alexandre, A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros, Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , 384-385
Sobreiró De Baixo (VINHAIS) BRAGANÇA None [Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 3522
[A Fraga da Tecedeira]

PARAFITA, Alexandre, A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros, Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , 202
Agrobom (ALFÂNDEGA DA FÉ) BRAGANÇA None [Unsure / Uncommitted] [Citation/Quote]

APL 3710
A fraga da urze

PARAFITA, Alexandre, A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros, Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , 337-338
Lebução (VALPAÇOS) VILA REAL None [Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 3765
A Fraga dos Mouros de Espinhoso

PARAFITA, Alexandre, A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros, Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , 381-382
- (VINHAIS) BRAGANÇA None [Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 3731
A fraguinha do Salgueiro

PARAFITA, Alexandre, A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros, Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , 351-352
- (VILA FLOR) BRAGANÇA None [Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 3587
[A galinha com pintainhos de oiro]

PARAFITA, Alexandre, A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros, Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , 247
Ferreira (MACEDO DE CAVALEIROS) BRAGANÇA None [Unsure / Uncommitted] [Citation/Quote]

APL 3628
A grade de ouro

PARAFITA, Alexandre, A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros, Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , 279-280
- (MIRANDELA) BRAGANÇA None [Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 603
A grade de ouro da Manguela

SOUSA, Arlindo de, O Concelho da Feira. História. Etnografia. Arte. Paisagem., Espinho, Tipografia Espinhense, s/d , 2
Canedo (SANTA MARIA DA FEIRA) AVEIRO

Diz uma lenda, que aparece no rio Uíma, à superfície da água, em vários locais, na noite de S. João, uma grade de ouro.
 Contava meu pai ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 15
Ainda o «encanto” da senhora das necessidades

CAMPOS, Beatriz C. D., Tarouca, Folclore e Linguística, Tarouca, Câmara Municipal de Tarouca / Escola Preparatória de Tarouca, 1985 , 12
- (TAROUCA) VISEU
Motifs: C420.2.,

A capela da Senhora das Necessidades já é do tempo dos mouros. Dizem que numa parede há uma pia cheia de ouro. Só consegue encontrá-la quem sonhar três noites ...

[Some Belief] [Oral transcription]

APL 9
Ainda o “encanto” de leirós

CAMPOS, Beatriz C. D., Tarouca, Folclore e Linguística, Tarouca, Câmara Municipal de Tarouca / Escola Preparatória de Tarouca, 1985 , 8
Ucanha (TAROUCA) VISEU

Minha mãe e minha sogra contavam que havia um encanto em Leirós e o povo dizia: “Leirós, bom tesouro está em vós”.
 Aparecia lá uma menina ...

[Some Belief] [Oral transcription]

APL 861
A Jovem Encantada

CAMPELO, Álvaro, Lendas do Vale do Minho, Valenca, Associação de Municípios do Vale do Minho, 2002 , 77-79
Castro Laboreiro (MELGAÇO) VIANA DO CASTELO

Vivia no lugar do Quinjo, em Castro Laboreiro, uma princesa que tinha sido encantada sob a forma de uma serpente, e que trazia uma flor presa na boca.
 Era esta ...

[Unsure / Uncommitted] [Ludic written text]

APL 662
A Lapa do Aivado

DIAS, Jaime Lopes, Contos e Lendas da Beira, Coimbra, Alma Azul, 2002 , 72-73
- (VILA DE REI) CASTELO BRANCO

Por entre encostas verdejantes e quase aprumadas de montes sem conto que dos confins do concelho de Proença-a-Nova se estendem até ao rio Zêzere, por entre extensas e ...

[Unsure / Uncommitted] [Ludic written text]

APL 2260
A Lapa do Diabo

VASCONCELLOS, J. Leite de, Contos Populares e Lendas II, Coimbra, por ordem da universidade, 1966 , 748
Valadares (MONÇÃO) VIANA DO CASTELO None [Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 331
A Lenda da Cova da Moura (1)

MORGADO, Isabel, Viagens ao Imaginário, Torres Vedras, Centro de Formação das Escolas de Torres Vedras, 1999 , 40
- (TORRES VEDRAS) LISBOA

Era uma vez uma moura que costumava dar pão a uma menina muito pobre. Um dia a moura deu-lhe um cesto tapado com um pano e disse-lhe para n ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 332
A Lenda da Cova da Moura (2)

MORGADO, Isabel, Viagens ao Imaginário, Torres Vedras, Centro de Formação das Escolas de Torres Vedras, 1999 , 40
- (TORRES VEDRAS) LISBOA

A “cova da moira” existe na Rocha desde o princípio do mundo. Antigamente, no tempo dos reis, os moiros tinham medo das lenhas porque pensavam que os lenhadores que ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 3694
A Lenda da Fraga Amarela (versão B)

PARAFITA, Alexandre, A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros, Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , 326-327
Horta Da Vilariça (TORRE DE MONCORVO) BRAGANÇA None [Unsure / Uncommitted] [Citation/Quote]

APL 573
A lenda da moura

MOURA, José Carlos Duarte, Contos, Mitos e Lendas da Beira, Coimbra, A Mar Arte, 1996 , 27-28
Salgueiro Do Campo (CASTELO BRANCO) CASTELO BRANCO

Noutros tempos existia no Salgueiro do Campo uma barraca no sítio da Penha, que lhe chamavam a Casa da Moura. Esta, tinha dantes, à maneira de um altar que foi ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]


Results 26 thru 50
Page 2 of 14       < 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 >