Sinos

Results 1 thru 25
Page 1 of 2       1 | 2 >

APL 452
A campainha da ingreija

BUESCU, Maria Leonor Carvalhão, Monsanto, Etnografia e Linguagem, Lisboa, Editorial Presença, 1984 [1958] , 137
Monsanto (IDANHA-A-NOVA) CASTELO BRANCO

O noss’cabeço era muita rico. Na Laija do Pandão stavam lá mouras e mouros no tempo da mòrêma com meadas d’ouro stindidas na laija ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 1024
A cobra moura

AA. VV., -, Literatura Portuguesa de Tradição Oral, s/l, Projecto Vercial - Univ. Trás -os-Montes e Alto Douro, 2003 , ME13
Balazar (PÓVOA DE VARZIM) PORTO

Contam que, quando houve as invasões dos Mouros, foi enterrado um tesouro no lugar das Penices, entre Balazar e Gondifelos, e que até aos dias de hoje ali est ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 2130
A lenda da Imaculada Conceição de Montemor-o-Novo

AA. VV., -, Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas), Faro, n/a,
- (MONTEMOR-O-NOVO) ÉVORA

Nossa Senhora existe numa ermida, lá no alto, numa colina e onde há um ermitão e a mulher que tomam conta da capela.
 Ah... era hábito e ainda ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 3212
A lenda dum sino

SILVA, José Luciano de Figueiredo, Sever do Vouga, n/a, Câmara Municipal de Sever do Vouga, , 10
Sever Do Vouga (SEVER DO VOUGA) AVEIRO

Trata-se de um sino aparecido num determinado local e que em letras gordas tinha escrito: “SÓ TOCARÁ NA TORRE DE SANTA MARIA DE CEVER”. E era tal o empenho do ...

[Unsure / Uncommitted] [Citação]

APL 3591
A Pedra Baloiçante

PARAFITA, Alexandre, A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros, Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , 252
- (MACEDO DE CAVALEIROS) BRAGANÇA

A nordeste de Bouzende, concelho de Macedo de Cavaleiros, coisa de um quilómetro do povo, no cume de um cabeço coroado por uma longa fiada de fraguedos gran ...

[Unsure / Uncommitted] [Citação]

APL 115
Frei joão hortelão

AFONSO, Belarmino, Raízes da Nossa Terra, Bragança, Delegação da Junta Central das Casas do Povo de Bragança, 1985 , 109
Ferradosa (ALFÂNDEGA DA FÉ) BRAGANÇA

Pascoal era o nome de baptismo. Nasceu em Valverde e ali guardava gado.
 Foi para uma aldeia vizinha, Eucísia. Eram pouco gentis com ele e daí dar ao Felgar ...

[Some Scepticism] [Registo escrito Lúdico]

APL 2822
Lenda da Campainha de Bronze

MARQUES, Gentil, Lendas de Portugal, Lisboa, Círculo de Leitores, 1997 [1962] , Volume III, pp. 97-101
Monsanto (IDANHA-A-NOVA) CASTELO BRANCO

Há muito tempo já, governava o castelo de Monsanto um homem duro, resoluto, positivo nas suas acções, mas um tanto descrente das coisas divinas. Como o seu povo tinha ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 1944
Lenda da fonte dos sinos

MILHEIRO, António, S. Miguel de Acha - Memórias da Cultura Tradicional, Idanha-a-Nova, Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, 2002 , 39
São Miguel De Acha (IDANHA-A-NOVA) CASTELO BRANCO

Conta-se que certo dia andava um homem a lavrar as suas terras quando sentiu que a relha do arado tocava numa coisa dura. Intrigado, pensando estar ali algum tesouro escondido ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 250
Lenda da Misericórdia de Santulhão

ROSÁRIO, Serafim do, Terras de Vimioso: Retalhos de Literatura Oral, [Vimioso], sem editora, s/d , 93
Santulhão (VIMIOSO) BRAGANÇA

A sineta do rústico campanário da capela da Misericórdia de Santulhão e as suas imagens: o Divino Senhor dos Passos, a Senhora da Soledade e S ...

[Some Belief] [Transcrição Oral]

APL 2863
Lenda das Cinco Badaladas

MARQUES, Gentil, Lendas de Portugal, Lisboa, Círculo de Leitores, 1997 [1962] , Volume IV, pp. 59-63
- (VIANA DO CASTELO) VIANA DO CASTELO

A lenda que vou contar tem como cenário a bela cidade de Viana de Castelo, e está ligada à história maravilhosa de D. Frei Bartolomeu dos Mártires. Na ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 139
Lenda do sino dos santos idos

SOUSA, Albano Martins de, Terras do Concelho de Sátão, Sátão, Câmara Municipal do Concelho de Sátão, 1991 , 338-339
- (SÁTÃO) VISEU

Quando os Mouros vieram para Portugal e chegaram ao Sátão — já lá vão tantos anos que nem podem contar-se, ao chegarem aqui, roubaram o sino da igreja ...

[Some Belief] [Registo escrito Lúdico]

APL 3240
Lenda do tesouro da igreja de São Domingos

SOTTO MAIOR , Diogo Pereira, Tratado da Cidade de Portalegre, Lisboa, INCM / Câmara Municipal de Portalegre, 1984 , 42
Fortios (PORTALEGRE) PORTALEGRE

[M]e deixeram alguns velhos daqueles montes que se tem por tradição antiga haver naquele lugar (aquém os mouros chamam S. Domingos da Penha) o maior tesouro junto ...

[Unsure / Uncommitted] [Citação]

APL 3263
Lisboa (7)

PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de, Portugal Antigo e Moderno, Lisboa, Livraria Editora Tavares Cardoso & Irmão, 2006 [1873] , Tomo IV, pp. 309-310
- (LISBOA) LISBOA

O padre-mestre João, era filho unico de paes ricos, mas despresou as commodidades da vida, dedicando-se desde a infancia aos exercicios da religião. Applicou-se ao estudo de varias ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Científico]

APL 3328
Monsanto

PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de, Portugal Antigo e Moderno, Lisboa, Livraria Editora Tavares Cardoso & Irmão, 2006 [1873] , Tomo V, p. 416
Monsanto (IDANHA-A-NOVA) CASTELO BRANCO

Um individuo d’aqui, foi a uma horta, junto ao sitio chamado n’aquelle tempo Lages do Pendão, onde diz o povo que os mouros deixaram grandes thesouros encantados ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Científico]

APL 20
O calhau do sino

CAMPOS, Beatriz C. D., Tarouca, Folclore e Linguística, Tarouca, Câmara Municipal de Tarouca / Escola Preparatória de Tarouca, 1985 , 15
- (TAROUCA) VISEU

“Eu escutava dizer à minha avó que andava uma pastorita, ali por cima, a fiar. Deixou cair o fuso e tocou um sino. Foram lá cavar e encontraram um sino enorme ...

[Convinced Belief] [Transcrição Oral]

APL 560
O sino

MOURA, José Carlos Duarte, Contos, Mitos e Lendas da Beira, Coimbra, A Mar Arte, 1996 , 17
Lardosa (CASTELO BRANCO) CASTELO BRANCO

Um sino foi descoberto entre os limites da freguesia da Póvoa de Rio de Moinhos e da Lardosa, pois aí estavam dois lavradores a lavrar. Um deles era da ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 411
O Sino

CUNHA, Jorge da, Criações do Génio Popular, Arruda dos Vinhos, Associação para a Recuperação do Património de Arruda, 1997 , 75
Arruda Dos Vinhos (ARRUDA DOS VINHOS) LISBOA

Consta que o sino maior da torre da igreja de Arruda dos Vinhos foi um dia roubado por uns malfeitores que viviam escondidos perto do lugar das Antas. Como faltavam ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 1346
Os sinos da igreja da Luz

FURTADO-BRUM, Ângela, Açores: Lendas e outras histórias, Ponta Delgada, Ribeiro & Caravana editores, 1999 , 181
Luz (SANTA CRUZ DA GRACIOSA) ILHA DA GRACIOSA (AÇORES)

Os sinos da igreja da Luz tinham um som tão melodioso que tocavam a alma de quem os ouvia a chamar para a missa de domingo ou a anunciar ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 937
Os sinos de s. joão

FERREIRA, Joaquim Alves, Lendas e Contos Infantis , Vila Real, Edição do Autor, 1999 , 140-142
- (LAMEGO) VISEU

Houve, em tempos, numa pequena aldeia do Concelho de Lamego, um famoso caçador a quem os conterrâneos chamavam o mata-coelhos, porque ele era o desinço da coelhada ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 920
Os sinos trocados

FERREIRA, Joaquim Alves, Lendas e Contos Infantis , Vila Real, Edição do Autor, 1999 , 82-83
Ribalonga (ALIJÓ) VILA REAL

Na mesma aldeia de Ribalonga, referida na lenda anterior, nasceu outra lenda relacionada com o sino da sua igreja.
 Segundo essa lenda, o sino tinha um som tão afinadinho ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 766
O Vale da Igreja

PARAFITA, Alexandre, Património Imaterial do Douro - Narrações Orais (contos, lendas, mitos) Vol. 1, Peso da Régua, Fundação Museu do Douro, 2007 , 169
- (TABUAÇO) VISEU

Segundo a tradição popular, situava-se neste local [no lugar de Guedieiros] uma antiga igreja destruída em tempos imemoriais. Desta igreja apenas terá restado o sino que seria todo ...

[Unsure / Uncommitted] [Citação]

APL 3390
Pitões (2)

PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de, Portugal Antigo e Moderno, Lisboa, Livraria Editora Tavares Cardoso & Irmão, 2006 [1873] , Tomo VII, pp. 107-108
Pitões Das Junias (MONTALEGRE) VILA REAL

Houve antigamente no termo de Monte-Alegre, d’este arcebispado primaz, um mosteiro de Cister, chamado de Santa Maria de Junias, sujeito ao de Osseira, no bispado de Orense. Extinguiu-se no ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Científico]

APL 3392
Poiares (2)

PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de, Portugal Antigo e Moderno, Lisboa, Livraria Editora Tavares Cardoso & Irmão, 2006 [1873] , Tomo VII, p. 120
Poiares (FREIXO DE ESPADA À CINTA) BRAGANÇA

Há na egreja [do Mosteiro dos Templários] uma antiquissima cruz, de pau santo, e de muito valor archeologico.
    […]
Segundo a tradição, andando uma mulher surda-muda a guardar gado ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Científico]

APL 3418
Requeixo

PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de, Portugal Antigo e Moderno, Lisboa, Livraria Editora Tavares Cardoso & Irmão, 2006 [1873] , Tomo VIII, p. 147
Requeixo (AVEIRO) AVEIRO

Junto ao logar do Rêgo do Espinheiro, a 3 kilometros de Requeixo, está a ermida de Nossa Senhora dos Envendos, dentro dos limites da freguezia de Requeixo, mas pertence ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Científico]

APL 3427
Saccoias

PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de, Portugal Antigo e Moderno, Lisboa, Livraria Editora Tavares Cardoso & Irmão, 2006 [1873] , Tomo VIII, p. 319
Meixedo (BRAGANÇA) BRAGANÇA

Esta freguezia foi supprimida, por pequena, e annexa á de Meixêdo, que lhe fica 6 kilometros a O., e d’onde havia sido antigamente desmembrada.
    Segundo a lenda, no 1 ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Científico]


Results 1 thru 25
Page 1 of 2       1 | 2 >