Casos do Quotidiano

Results 1 thru 25
Page 1 of 2       1 | 2 >

APL 3131
A Fraga do Ovo

PARAFITA, Alexandre, Património Imaterial do Douro (Narrações Orais), Vol. 2, Peso da Régua, Fundação Museu do Douro, 2010 , 240
Carvalho De Egas (VILA FLOR) BRAGANÇA

Essa Fraga do Ovo tem uns buracos por baixo, que era certamente onde os antigos escondiam as suas coisas.
Aqui há uns anos atrás, talvez há mais de cinquenta ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 2000
A marquesa de Távora

AA. VV., -, Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas), Faro, n/a,
Amareleja (MOURA) BEJA

Os marqueses de Távora viveram no tempo em que ainda havia reis e no tempo do Marquês de Pombal que tinha qualquer coisa contra os marqueses de T ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 381
A moeda de prata

CABRAL, João, Anais do Município de Leiria, Vol. III, Leiria, Câmara Municipal de Leiria, 1993 , 227
Colmeias (LEIRIA) LEIRIA

Era uma vez… estava-se a 14 de Outubro do ano da Graça de Nosso Senhor Jesus Cristo de 1605. Ali para os lados de São Silvestre, da freguesia ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 1294
A porca furou o Pico!

FURTADO-BRUM, Ângela, Açores: Lendas e outras histórias, Ponta Delgada, Ribeiro & Caravana editores, 1999 , 119-120
Água De Pau (LAGOA) FARO

Há muitos anos, na freguesia de Água de Pau, vivia, na Rua da Boavista, um casal com uma filha única, já grandinha. O dono da casa era um homem honrado ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 3046
Casal do Abade (versão A)

CAETANO, Amélia, "Lendário Mafrense" in Boletim Cultural '93, Mafra, Câmara Municipal de Mafra, 1994 , 256
- (MAFRA) LISBOA

Na segunda Tapada, sobre uma colina, vêem-se ainda hoje as paredes arruinadas de um antigo prédio. É o Casal do Abade. Porque se chama assim, não sei, nem ...

[Unsure / Uncommitted] [Citação]

APL 3047
Casal do Abade (versão B)

CAETANO, Amélia, "Lendário Mafrense" in Boletim Cultural '93, Mafra, Câmara Municipal de Mafra, 1994 , 257-260
- (MAFRA) LISBOA

A estrada privativa que sai da Porta do Jardim do Cerco e se dirige para o fresco, ensombrado e calmo Salabredo corta em determinada altura o muro que é a divis ...

[Unsure / Uncommitted] [Citação]

APL 933
Coedo

FERREIRA, Joaquim Alves, Lendas e Contos Infantis , Vila Real, Edição do Autor, 1999 , 129-130
Adoufe (VILA REAL) VILA REAL

Há, na freguesia de Adoufe, Concelho de Vila Real, uma pequena povoação chamada Coedo.
 Segundo a tradição local, a sua existência remonta aos princípios da nacionalidade ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 3806
Dona Marinha

MATTOSO, José, Livro de Linhagens do Conde Dom Pedro, Lisboa, Academia das Ciências, 1980 , 73 A1
- (BARCELOS) BRAGA
Motivos: B81.2.1., B81.2., B81.13.11., F954.,

O primeiro foi ũu cavaleiro boo que houve nome dom Froiam, e era caçador e monteiro. E andando ũu dia em seu cavalo per riba do mar, a seu ...

[Unsure / Uncommitted] [Citação]

APL 181
D. Teresa Eufrásia de Meneses

MIRANDA, Jorge, Viagem pelas Lendas do Concelho de Oeiras, Oeiras, Câmara Municipal de Oeiras, 1998 , 22
Paço De Arcos (OEIRAS) LISBOA

D. Teresa Eufrásia de Meneses, instituidora do morgadio de Paço de Arcos, com sede no emblemático palácio da vila, morreu, em 20 de Julho de 1698 ...

[Some Belief] [Registo escrito Científico]

APL 2710
Lenda da Água que Beba Dela

MARQUES, Gentil, Lendas de Portugal, Lisboa, Círculo de Leitores, 1997 [1962] , Volume I, pp. 157-164
Bobadela (OLIVEIRA DO HOSPITAL) COIMBRA

Silêncio quase absoluto.
Beatriz bordava, sozinha na pequena sala.
Lá fora, a atmosfera pesada punha ameaças de tempestade no cérebro e no coração das gentes. Uma ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 3000
Lenda da Bela Infanta

MARQUES, Gentil, Lendas de Portugal, Lisboa, Círculo de Leitores, 1997 [1962] , Volume V, pp. 17-21

A lenda que vamos contar anda na boca do povo, que a recorda e comenta com lágrimas e sorrisos. Pertence ao cancioneiro popular, e alcançou tal agrado, talvez ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 2701
Lenda da Brasília

MARQUES, Gentil, Lendas de Portugal, Lisboa, Círculo de Leitores, 1997 [1962] , Volume I, pp. 71-76
Escariz (São Martinho) (VILA VERDE) BRAGA

Quando hoje em dia se fala em Brasilia, todos pensam imediatamente na nova e esplendorosa capital do Brasil, autêntico milagre de iniciativa e de esforço.
Mas a hist ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2696
Lenda da Maia

MARQUES, Gentil, Lendas de Portugal, Lisboa, Círculo de Leitores, 1997 [1962] , Volume I, pp. 25-30
Damaia (AMADORA) LISBOA

Maio e Maia — são nomes que têm história. História rendada de lenda e de tradição. História onde a ingenuidade da alma popular se mistura ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 3032
Lenda da Monstruosa Mentira

MARQUES, Gentil, Lendas de Portugal, Lisboa, Círculo de Leitores, 1997 [1962] , Volume V, pp. 251-256
Pendilhe (VILA NOVA DE PAIVA) VISEU

Consta que foi em Pendilhe que nasceu esta lenda. Não se sabe em que data se situa, mas dizem que o caso se passou há muitos anos com um ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 1122
Lenda da origem do Monte Fidalgo

HENRIQUES, Francisco , Contos Populares e Lendas dos Cortelhões e dos Plingacheiros, Vila Velha de Ródão, Associação de Estudos do Alto Tejo, 2001 , 287-289
Vila Velha De Ródão (VILA VELHA DE RÓDÃO) CASTELO BRANCO

De geração em geração vem-se dizendo que a fundação da povoação de Monte Fidalgo, se deve à fixação de três irmãos fidalgos que, por ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 2704
Lenda da Pena Fiel

MARQUES, Gentil, Lendas de Portugal, Lisboa, Círculo de Leitores, 1997 [1962] , Volume I, pp. 97-102
Penafiel (PENAFIEL) PORTO

Lenda e História, fantasia e realidade, ilusão e certeza, muitas vezes se juntam nos horizontes da vida. Juntam-se e misturam-se de tal forma que, muitas vezes também ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2713
Lenda da Porta que se Abra Antes

MARQUES, Gentil, Lendas de Portugal, Lisboa, Círculo de Leitores, 1997 [1962] , Volume I, pp. 187-194
- (ABRANTES) SANTARÉM

Tudo começou naquela madrugada triste e fria de 8 de Dezembro de 1148. A chuva caía implacável, batida pelo vento, sobre as terras que formavam o lugar ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2714
Lenda da que Mal Pica

MARQUES, Gentil, Lendas de Portugal, Lisboa, Círculo de Leitores, 1997 [1962] , Volume I, pp. 199-203
Malpica Do Tejo (CASTELO BRANCO) CASTELO BRANCO

Chegara O Inverno. E com ele o frio. E com ele a desolação. Em certa zona das Beiras, lá para o sul de Castelo Branco, havia um pequeno povoado ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2700
Lenda da Terra da Galega

MARQUES, Gentil, Lendas de Portugal, Lisboa, Círculo de Leitores, 1997 [1962] , Volume I, pp. 63-68
Golegã (GOLEGÃ) SANTARÉM

Ali, no meio da planície ribatejana, apenas a cinco quilómetros do Rio Tejo, estende-se a pitoresca e curiosa vila da Golegã, onde se realiza todos os anos a ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2711
Lenda de Almaceda

MARQUES, Gentil, Lendas de Portugal, Lisboa, Círculo de Leitores, 1997 [1962] , Volume I, pp. 167-173
Almaceda (CASTELO BRANCO) CASTELO BRANCO
Types: 470 A,

Estranha e impressionante, simultaneamente, esta lenda. Estranha, pela sua própria concepção natural, tão diferente de outras histórias no género. Impressionante, por evocar o mundo do ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 492
Lenda de D. Sapo

VIANA, António Manuel Couto, Lendas do Vale do Lima, Ponte de Lima, Valima, Associação de Municípios do Vale do Lima, 2002 , 38-39
Cardielos (VIANA DO CASTELO) VIANA DO CASTELO

Era uma vez um fidalgo chamado D. Florentim Barreto, a quem o povo alcunhara de D. Sapo, senhor de um solar torreado e de vastas terras de lavoira, situadas na ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 497
Lenda de Viana

VIANA, António Manuel Couto, Lendas do Vale do Lima, Ponte de Lima, Valima, Associação de Municípios do Vale do Lima, 2002 , 53-54
- (VIANA DO CASTELO) VIANA DO CASTELO

Era uma vez uma pequena povoação nascida na margem direita do rio Lima, junto à foz, quando as águas doces e vagarosas se misturam com o bravio das ondas salgadas ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2699
Lenda do Galo que cantou a tempo

MARQUES, Gentil, Lendas de Portugal, Lisboa, Círculo de Leitores, 1997 [1962] , Volume I, pp. 55-60
Galveias (PONTE DE SOR) PORTALEGRE

Em certas regiões do nosso País, existia o costume antigo de preparar um galo especialmente para cantar na chamada Missa da Meia-Noite do dia de Natal...
Esse galo ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 2708
Lenda do Pé de Ferro

MARQUES, Gentil, Lendas de Portugal, Lisboa, Círculo de Leitores, 1997 [1962] , Volume I, pp. 139-144
Santos-O-Velho (LISBOA) LISBOA

Ali estava ele. Desesperado e inquieto. E furioso também. Calcando com a fúria do seu desespero a areia do arruamento, Pêro Gonçalves, homem forte e sadio ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2698
Lenda dos Estremoços

MARQUES, Gentil, Lendas de Portugal, Lisboa, Círculo de Leitores, 1997 [1962] , Volume I, pp. 43-48
- (ESTREMOZ) ÉVORA

O sol, um sol quente, abrasador, caía implacável sobre o carro onde viajava  um homem, uma mulher e uma criança. Este grupo vinha de longe, dos contrafortes ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]


Results 1 thru 25
Page 1 of 2       1 | 2 >